As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Matanza e B Negão abrem 3.° dia do Rock in Rio

Ana Clara Jabur

25 de setembro de 2011 | 16h39

O primeiro show do dia contou com um encontro de peso no palco Sunset: a banda Matanza e o músico B Negão.”Ele não faz rap ou funk, faz, sim, música boa. Com vocês, meu amigo B Negão!”, gritou Jimmy London, vocalista do grupo. Mais uma vez problemas no som marcaram o começo da apresentação.

No setlist não faltaram os maiores clássicos do Matanza. Ela roubou meu caminhão, Clube dos Canalhas e Estamos todos bêbados foram cantadas em coro. A Verdadeira Dança do Patinho, de B Negão, também agitou o público.

Camisetas pretas dominam a paisagem em Jacarepaguá – Jotabê Medeiros e Roberto Nascimento

RIO – Milhares de camisetas pretas invadiram a Cidade do Rock na tarde deste domingo, o uniforme monocromático dos fãs do metal pesado de Metallica, Slipknot, Coheed and Cambria e Motorhëad. Com a repetição das filas e do policiamento ostensivo, a onda preta se estende paciente e pacificamente a mais de 3 km da entrada dos portões, disputando espaço com os evangélicos e suas faixas “Por um Mundo Melhor? Só Jesus”. Dentro da cidade do rock, o as vestimentas escuras ostentam uma profusão de frases como “O martelo da justiça vai te esmigalhar”, “Perder toda a esperança é a alcançar a verdadeira liberdade”, em meio às caveiras e o sangue de nomes de bandas pouco conhecidas como Septic Flesh “Carne séptica” e Killswitch Engage “Ativar o gatilho da morte”. Al Qaeda, a seleção da Alemanha, o Cristo Redentor e Seu Madruga também decoram o pano preto do Rock in Rio.

Lá fora, o efetivo policial trai um pouco de preconceito contra os metaleiros, porque tem sido deles alguns dos dias mais pacíficos da história dos festivais de rock, como por exemplo no último Rock in Rio, em 2001.

A organização começa a dar mostras de cansaço no terceiro dia do festival: havia banheiros interditados quando os portões foram abertos, e muito lixo ainda espalhado pelo gramado. O cheiro de urina era muito forte nos banheiros mais próximos do Palco Mundo, e a limpeza ainda estava em progresso enquanto os fãs procuravam aliviar-se, sendo encaminhados a outros lugares.

Tudo o que sabemos sobre:

RIR 3Rock in Rio 2011

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.