George W. Bush faz maratona na TV dos EUA para promover seu livro de pinturas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

George W. Bush faz maratona na TV dos EUA para promover seu livro de pinturas

O Estado de São Paulo

03 Março 2017 | 15h46

George W. Bush apresenta seu novo livro numa exposição com as suas pinturas em Dallas,  no dia 28 de fevereiro de 2017. Foto: AP Photo/LM Otero

George W. Bush apresenta seu novo livro numa exposição com as suas pinturas em Dallas, no dia 28 de fevereiro de 2017. Foto: AP Photo/LM Otero

O ex-presidente norte-americano George W. Bush, o 43º a assumir o poder dos EUA, está fazendo uma maratona de participações em programas de TV do país. O motivo é para promover o seu novo livro, Portraits of Courage, em que apresenta uma série de pinturas, feitas por ele, em tributo a soldados veteranos dos EUA.

Esta semana, Bush já fez aparições em programas jornalísticos, como o Today Show, mas também de variedades, como os talk-shows dos apresentadores e comediantes Ellen DeGeneres e Jimmy Kimmel.

Em todos os programas, Bush contou a história de como começou a pintar, há cerca de cinco anos, repetindo sempre a mesma piada: “a comunidade artística não era exatamente a minha base de apoio quando eu era presidente”.

O ex-presidente contou, em sua maratona de entrevistas, que decidiu começar a pintar inspirado por Winston Churchill, primeiro-ministro do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial, que era amante das arte e, além de escrever, também pintava.

Apesar do clima descontraído das suas entrevistas, Bush não deixou de ser questionado sobre a situação atual dos EUA. Ellen DeGeneres pediu a opinião do ex-presidente sobre a guerra contra a imprensa travada por seu novo sucessor, Donald Trump.

“Eu estou fora da política. A minha visão é que não faz bem à nação que um ex-presidente critique seus sucessores”, comentou, mas sem fugir do assunto quando o tema foi liberdade de imprensa. “A nação precisa de uma imprensa independente e o motivo é que o poder pode corromper. E nós precisamos da imprensa para segurar os políticos, incluindo a mim.”

Ainda no programa de DeGeneres, George W. Bush comentou também sobre a sua relação com Vladimir Putin, num momento em que a imprensa está de olho na relação de Trump e seus aliados com o Kremlin.

“Eu apresentei Putin a Barney, lembra dele?”, perguntou o ex-presidente à apresentadora. “Barney, o meu terrier escocês, um carinha com pernas curtas. Ele (Putin) olhou para ele e disse: ‘você acha que isso é um cachorro’.”

“E então, um ano depois, Putin perguntou se eu gostaria de conhecer o seu cachorro”, continuou Bush, contando sobre uma das suas visitas à Moscou. “Veio um cão gigante. (…) Putin olhou para mim e disse: ‘maior, mais forte e mais veloz que Barney’.”

“Eu tive uma relação de contenção com ele”, finalizou seu comentário sobre o presidente da Rússia. “Eu acredito que quem quer que seja o presidente, vai descobrir que Putin pressiona até que alguém o confronte.”

Mais conteúdo sobre:

george w bush