As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Espetáculo sobre caso real de canibalismo estreia no Sesc Belenzinho, em São Paulo

Marcio Claesen

08 de novembro de 2012 | 15h28

Gilberto Gawronski está no monólogo “Ato de Comunhão” que entra em cartaz nesta sexta-feira, 09, na cidade

ATO_24___Cr__dito_Jorge_Etecheber_.jpg

A história de Armin Meiwes, que matou e devorou um homem em março de 2001 em Rotemburgo, na Alemanha, é a inspiração para o espetáculo Ato de Comunhão, que estreia nesta sexta-feira 09, no Sesc Belenzinho, em São Paulo. O monólogo do argentino Lautaro Vilo coloca Gilberto Gawronski sozinho no palco e narra três momentos na vida de um homem: sua festa de aniversário de oito anos, o funeral da mãe e o encontro polêmico que acabou em sangue.

Meiwes, que ficou conhecido como o “canibal de Rotemburgo”, publicou um anúncio na internet procurando alguém que concordasse em ser morto e comido. O ritual de canibalismo envolveu o engenheiro Bernd Jürgen Brandes, de 42 anos, e foi filmado. Meiwes foi a julgamento e condenado à prisão perpétua em 2006.

A montagem, que tem direção do próprio Gawronski e de Warley Goulart, utiliza projeções e áudios, e fica em um caminho entre o happening e a performance. O espetáculo estreou em 2011 no Rio de Janeiro, onde cumpriu temporada em cinco teatros.

Ato de Comunhão
Sesc Belenzinho. Rua Padre Adelino, 1.000, tel.: 2076-9700
Sextas, às 21h30; sábados, 20h e domingos, 19h (Estreia em 09 de novembro; em cartaz até 09 de dezembro)
Ingressos: R$ 24

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.