Dez minutos para rir
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dez minutos para rir

Ana Clara Jabur

26 de novembro de 2010 | 12h14

Por Kívia Costa

Se Guimarães Rosa tivesse presenciado a chegada de Denise Fraga ao Parque Augusta, onde acontece a 11ª Satyrianas, diria que ela andorinhava. Protegida do friozinho por um leve sobretudo caqui, Denise cruzou o espaço entre as tendas a passos lentos, meigos, na companhia do diretor Elias Andreatto, às 22h30 desta quinta.

Ao alcançar a tenda do Dramamix, onde encenaria João sem Maria dentro de 30 minutos, a atriz puxa uma fresta de lona e dá uma espiadinha na peça que antecederia a sua. Pisando na grama úmida, entre poças de lama e de água, Denise e Andreatto vão para a parte de trás da tenda e falam alto com os gestos. Um último ensaio antes de encenar o texto de única apresentação (por enquanto).

Foi só tirar o casacão para a atriz se tranformar. Sentada à mesa, sua personagem grita, chora, ameaça o marido (Andreatto) com uma faca que não cansa de cortar legumes. A dona de casa que considera o divórcio um grande fracasso social entra em desespero ao saber do filho, por telefone, que ele vai se separar. Bastaram dez minutos de gestos intensos e convincentes para a dupla arrancar risos e aplausos do teatro lotado.

Denise saiu com a mesma leveza com que entrou. Entre tantos pedidos de fotos e conversas, sempre amparada por amigos, como Paula Bulamarque, a atriz confessa que queria ter ensaiado mais, que ficou com medo de esquecer o texto. “Gosto de ensaiar dois meses antes, de estar com o texto bem firme”, diz com os olhos brilhando, apesar do cansaço aparente. Denise convence mais pessoalmente do que na televisão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: