Depois de susto, Rock in Rio é liberado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Depois de susto, Rock in Rio é liberado

Eliana Souza

19 Setembro 2013 | 08h32


Vistoria do MP detectou 22 irregularidades nos postos médicos e juíza falou em suspensão; problemas sanados, shows retornam hoje (Foto: Marcos de Paula/ Estadão)


Julio Maria

O pesadelo durou exatamente um dia. Ontem, a produção do Rock in Rio amanheceu sobre uma bomba. O Ministério Público do Rio pedia a suspensão dos próximos shows, alegando falta de condições nas áreas de atendimento médico. Mesmo sem ter recebido o pedido de liminar encaminhado ao Tribunal de Justiça do Rio, a produção respondeu que “já estava tomando providências”.

Nas mãos da juíza Márcia Castro, da 2.ª Vara Empresarial do Rio, o alerta que era amarelo ficou vermelho: se não reparasse deficiências de estrutura que iam da falta de macas e equipamentos adequados a áreas de escape obstruídas, o Rock in Rio não seria realizado, sob pena de multa de R$ 10 milhões por dia caso desobedecesse a determinação.
Uma nova diligência foi realizada na Cidade do Rock, sob ordem judicial, no começo da noite de ontem. No fim, o alívio dos fãs e dos realizadores. “Eles consideraram agora tudo certo”, informou a chefe da assessoria do evento, Fabiana Guimarães. A mesma juíza reconhecia que o festival havia “sanado todas as solicitações” feitas pela Justiça, levando em consideração o fato de nenhum paciente ter ficado sem atendimento durante os shows de sexta, sábado e domingo. O evento foi liberado sem mais impedimentos, conforme considerou a magistrada.

Os pontos levantados pelo Ministério Público durante suas vistorias somavam 22 irregularidades. Eles indicavam desde problemas de falta de profissionais devidamente uniformizados a áreas inadequadas para o atendimento. Em vez de sete postos de saúde acordados para a realização, havia seis. Em vez de seis ambulâncias, cinco.

Os fiscais anotaram ainda um comportamento que os irritou durante a visita. Os mesmos profissionais que estavam em um posto apareciam em outro para, supostamente, dar a impressão de que havia gente suficiente para o atendimento. O mesmo chegaram a fazer com uma ambulância, usando-a em dois locais.

O evento divulgou uma nota depois de passar pela última vistoria. “Em 28 anos de história, com cerca de 7 milhões de pessoas presentes nas Cidades do Rock, nunca houve nenhum incidente que mereça registro. A Organização do Rock in Rio e as empresas contratadas para prestação de serviços internos atenderam a todas as solicitações das diversas entidades públicas que estão acompanhando o evento. Durante os três primeiros dias de festival nenhuma pessoa ficou sem assistência. Mais de 2 mil pessoas foram atendidas e nenhum caso grave foi registrado.”

O festival recebe hoje seu público mais engajado. O dia do metal, já tradicional na festa, terá o peso dos grupos Sepultura, Ghost BC, Alice in Chains e, no encerramento, Metallica. No domingo, o evento termina com show do Iron Maiden.

SHOWS DE HOJE

Palco Mundo
18h30 – Sepultura & Tambours du Bronx

20h30 – Ghost B.C

2h10 – Alice in Chains

0h05 – Metallica

Palco Sunset
14h40 – República + Dr. Sin + Roy Z

16 h – Almah + Hibria

17h30 – Sebastian Bach

19h30 – Rob Zombie

Eletrônica
22h30 – DJ Ride

23h30 – Gaslamp Killer

0h30 – Brodinski

1h45 – Gesaffelstein

 

Mais conteúdo sobre:

ROCK IN RIO; SHOWS; SEGUNDA SEMANA