As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coal Chamber dividiu a opinião do público do Monsters of Rock

O Estado de São Paulo

25 de abril de 2015 | 18h02

Monsters-of-Rock-539x40Atração menor do Monsters, Coal Chamber, dividiu a opinião do público neste sábado no Anhembi. O som nu metal do quarteto era pouco conhecido do público, mas agradou com sua guitarra pesada.

A baixista Nadja Peulen, única mulher a tocar no festival este ano, atraiu a atenção do público com seus cabelos vermelhos, macacão preto colado e curto. Peulen também agradou por sua presença de palco, dando chutes no ar e balançando a cabeleira.

Antes de tocar ‘The roofs on fire’,última música do show, o vocalista Dez Fafara, se declarou fã de Lemmy e de Motörhead e disse que Ozzy era o ‘Rei do Mundo’.

Na sequência de Coal Chamber, Rival Sons, de 2009, não consegue esconder a forte influência que tem de bandas como Led Zeppelin. A voz de Jay Buchanan muitas vezes também lembrava a de Ian Gillan nos tempos áureos do Deep Purple.

O baterista Mikey ‘Bug’, com pés e mãos pesados, também foi destaque na apresentação.

Victor Salvalaggio, do RJ, e fã da banda, destaca como ponto alto do show a música ‘Pressure and Time’. Vibrante, Rival Sons finaliza show em sP sob aplausos do público.

Tudo o que sabemos sobre:

Monsters of Rock; Música

Tendências: