Análise: Seth Meyers fez apresentação cheia de empatia no Globo de Ouro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Análise: Seth Meyers fez apresentação cheia de empatia no Globo de Ouro

Monólogo inicial do apresentador abordou os problemas de abusos sexuais em Hollywood e tentou responder à questão: 'por que uma mulher não foi escolhida para apresentar o prêmio?'

Guilherme Sobota

08 Janeiro 2018 | 09h41

“Bom dia, senhoras, e senhores que sobraram”: assim começou Seth Meyers o discurso de abertura do Globo de Ouro 2018, na noite do domingo, 7 (veja abaixo na íntegra). Depois de tudo o que aconteceu com Hollywood em 2017, havia uma dúvida muito clara: por que a Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood não convidou uma mulher para apresentar o prêmio?

+ Globo de Ouro celebra as mulheres e fortalece ‘Lady Bird’ e ‘Três Anúncios Para um Crime’

This image released by NBC shows host Seth Meyers at the 75th Annual Golden Globe Awards at the Beverly Hilton Hotel in Beverly Hills, Calif., on Jan. 7, 2018.  (Paul Drinkwater/NBC via AP)

Seth Meyers no 75.º Globo de Ouro. Foto: Paul Drinkwater/NBC via AP

A dúvida permanece, mas se um homem podia fazer a abertura, esse homem era Seth Meyers. O comediante se consolidou em 2017 como o mais incisivo apresentador dos Late Nights, tradicionais programas noturnos da TV americana, considerado melhor até do que Stephen Colbert.

Meyers usou o palco do Globo de Ouro para abordar a questão de frente, cheio de empatia, citando os nomes dos abusadores e dando espaço para atrizes no fim do seu monólogo. Amy Poehler, que já apresentou o Globo de Ouro em outras ocasiões, participou e cutucou: “é sério que você vai me explicar como fazer isso?”.

Veja o discurso (em inglês):

Algumas das piadas de Meyers durante a apresentação:

– “Boa noite, senhoras, e os senhores que sobraram…”

– “É 2018. A marijuana é finalmente permitida e o assédio sexual finalmente não é, vai ser um bom ano”

–  “Há uma nova era a caminho, e eu posso dizer porque faz anos que um homem branco esteve tão nervoso assim em Hollywood”

– “Por sinal, um alô especial para os apresentadores dos outros prêmios que virão, que estão me assistindo hoje à noite como o primeiro cachorro mandado para o espaço”

– “Para os homens indicados hoje à noite, essa é a primeira vez em três meses que não será assustador ouvir seu nome lido em voz alta. ‘Você viu o Willem Dafoe?’ ‘Oh, meu Deus, não!’ ‘Ele foi indicado…’. Não façam isso!”

– “Muitas pessoas pensaram que seria mais apropriado uma mulher ser a apresentadora desse prêmio e eles devem estar certos… mas se é algum consolo, sou um homem sem nenhum poder em Hollywood. Eu não sou nem o Seth mais poderoso nessa sala (a câmera aponta para Seth Rogen, um dos criadores do controverso A Entrevista). Ei, se lembram de quando era ele que arrumava problemas com a Coreia do Norte?!”

– “Eles tentaram arrumar uma mulher para apresentar o show, de fato. Eles disseram, ‘Ei, que tal vir aqui e ser julgada por alguns dos mais poderosos em Hollywood?’. Elas responderam: ‘Hm, onde?’, e a resposta foi, ‘Num hotel’. Para resumir, eu sou o apresentador hoje à noite”

– “Bom, acho que é hora de abordar o elefante na sala. Harvey Weinstein não está aqui hoje à noite porque, bem, eu soube que ele é maluco e difícil de lidar. Mas não se preocupem, ele estará de volta em 20 anos quando for a primeira pessoa a ser vaiada durante o in memoriam (a plateia murmura). Vai soar mais ou menos assim”.