As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Terno lança o clipe do ano? ‘Não Espero Mais’ tem frescor pop, memes e euforia kitsch

Pedro Antunes

18 de julho de 2017 | 16h49

O Terno (Foto: Werther Santana/Estadão)

“Não imaginava O Terno tocando essa música”, disse Tim Bernardes, voz e guitarra d’O Terno, em entrevista ao Estadão sobre Melhor do Que Parece, o terceiro disco do trio, uma aventura efervescente e pop.

Ele falava de Não Espero Mais, uma canção inspirada em noites ao som de Marvin Gaye. “Tinha essa coisa de ‘estou feliz, estou na rua, eu gosto de você’. É uma canção simples”, diz o vocalista.

Guilherme de Almeida, o Peixe, baixista do trio, completou o pensamento do amigo. “É mais ‘vibe’ do que algo intelectual. Queria poder tocar essa música.”

Não Espero Mais entrou em Melhor do Que Parece – ainda bem. É uma canção com todo o frescor pop que o disco precisava. Tem amor, tem o derretimento diante da paixão, tem o melodrama.

“Me encontrei quando te conheci”, canta Tim.

O melhor de tudo: a pureza dos versos ganhou gingado. O arranjo cresceu. A canção suspira com teclados, tem seu êxtase no solo de guitarra e respira por uma bateria incansável, dinâmica e zero robótica.

Transformada em videoclipe em uma produção da Panama Filmes,  Não Espero Mais manteve seu frescor pop. Divertido, o clipe é kitsch, brinca com os memes (a Gretchen, é claro, está lá) e chega ao fim com um John Travolta confuso de Pulp Fiction.

Decididamente, não há nada melhor do que isso nesta tarde de 9ºC em São Paulo.