Coronel Pacheco transforma a agonia cotidiana em um espaço para o lúdico; assista ao clipe de ‘Fast Fashion’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coronel Pacheco transforma a agonia cotidiana em um espaço para o lúdico; assista ao clipe de ‘Fast Fashion’

Pedro Antunes

21 de novembro de 2017 | 10h00

No universo lúdico criado pelo Coronel Pacheco, as mazelas são também um convite ao baile.
A amargura se torna riso.
A rigidez vira molejo.
E, tudo isso, com dois versos. E só.

“Meu bem você já sabe que eu me amarro numa fast fashion /
Gosto de ficar arrumadinho e sair com você”

Coronel Pacheco (Foto: Daniela Grandini)

Assim, com um gostinho de intimidade, a banda constrói Fast Fashion, essa música-pílula divertidíssima e altamente rebolativa.

É uma lambada levemente safada, de corpo no corpo, de pernas entrelaçadas. Que propõe, despretensiosamente, o amasso, o suor e, por fim, o aconchego.

Os dois versos constróem a proximidade entre seus dois personagens sem exagero. O uso de “meu bem” e “arrumadinho” fomenta, suavemente, a compreensão da relação pessoal existente aí.

Formado por Luiz Hygino (guitarra e voz), Eduardo Barreto (guitarra e voz), Bruno Brandão (bateria e voz) e Rodrigo Passeira (baixo), o Coronel Pacheco transforma amarguras em farra.

Todo o conceito de Petit Comité, o disco de estreia do quarteto, vem da ideia de se polir o que há de áspero na vida. Sua brincadeira (e acerto) é tirar o peso dos ombros e, com isso, que tal dançar?

Nessa canção, gracejam com as lojas de fast fashion e suas roupas produzidas em grande escala e, mais do que isso, festejam o amor.

O clipe de Fast Fashion, lançado com exclusividade no blog Outra Coisa, cria um universo particular, uma realidade fantástica.

No vídeo concebido e roteirizado pela banda e por André Andrade, e dirigido pelo último, a atriz Anisha Zevallos passa horas a mais em uma loja de fast fashion, tal qual o título da música. Nessa noite surrealista, os manequins ganham vida para animá-la.

E, o melhor, dançam lambada.

Inventa-se um grande baile ao som da guitarrada, do carimbó e do merengue.

Se houver forma mais divertida de lidar com com uma jornada estendida de trabalho, alguém me avise.

Ouça o disco Petit Comité, do Coronel Pacheco: 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: