E o Capitão Nascimento com isso?

Patrícia Villalba

26 de novembro de 2010 | 16h18

Chama a atenção no Rio o grande apoio que a população tem manifestado às recentes ações da polícia, coisa que se ouve tanto na zona zul quanto na zona norte, onde ocorrem os principais conflitos. É uma mudança de comportamento de uma cidade que não costumava ver a movimentação de policiais com bons olhos, segundo me relataram vários cariocas de juízo perfeito.

É claro que qualquer análise prematura é perigosa, mas me parece que isso tem muito a ver com a imagem do Bope estampada na dupla de filmes Tropa de Elite e Tropa de Elite 2. Quem viu o último longa de José Padilha deve se lembrar da cena em que o Capitão Nascimento (Wagner Moura) entra num restaurante e é aplaudido de pé pelos clientes, depois de uma ação que terminou com a morte de um bandido que mantinha um refém numa rebelião num presídio. É mais ou menos isso que acontece agora na vida real, segundo contam os colegas repórteres que voltam da cobertura na Vila Cruzeiro.

Só o tempo e os sociólogos poderão dizer com maior precisão qual é a contribuição da ficção nesse momento de realidade tão cruel. Tanto é que, cautelosos, os envolvidos na produção do filme têm evitado se manifestar pela imprensa que, como se pode imaginar, quer saber o que José Padilha e Wagner Moura têm a dizer sobre o assunto. Padilha que, segundo sua assessoria de imprensa estava “incomunicável no Festival de Cinema de Búzios” apareceu agora há pouco no programa Estúdio I, da GloboNews. Disse, basicamente, que a proximidade da Copa e das Olimpíadas ditam a urgência em resolver o problema, mas alertou para o fato de que ele está longe de ser resolvido. 

Na verdade, o diretor nem precisaria dar entrevistas para que a gente saiba o que ele pensa do assunto: sem a reforma da polícia, não basta a instalação das UPPs. “O que garante que esse esforço não vai substituir o domínio do tráfico pelo domínio das milícias?”, questionou, fazendo lembrar do enredo do Tropa 2.   

Ainda no tema, o autor do livro Elite da Tropa, que deu origem ao filme, Luiz Eduardo Soares falou sobre o assunto no seu blog, segundo ele, por preferir se manter distante da imprensa nesse momento. Leitura mais que recomendada.

 

Tendências: