JE T’AIME…

Estadão

24 de junho de 2009 | 19h39

Serge Gainsbourg é tema de uma exposição trés chic no térreo do Sesc Paulista. São inúmeras capas de discos coladinhas num fundo preto (clássico e pop ao mesmo tempo – a cara dele!) e quatro computadores com a história desse francês charmosissimo em suas várias fases. O melhor de tudo é que com os fones no ouvido dá pra escutar o som dos lps expostos alí. Uma delícia…

Capa de um Lp de Serge Gainsbourg

Capa de um Lp de Serge Gainsbourg

E o que não se pode esquecer é que Serge, ao lado de sua mulher, a lindíssima Jane Birkin, foi o responsável pelo primeiro sexo explícito da história da música mundial.

Eles gravaram juntos “Je T’aime, Moi Non Plus”em compacto na decada de 60 e essa bolachinha serviu de estímulo pra multidões.

Eu ouvi escondida na vitrolinha da irmã mais velha de uma amiga. Foi o começo da minha educação sexual e aconteceu na mesma tarde em que experimentamos cigarro e eu quase morri. Um dia muito intenso para meus doze anos…

Inesquecível.

Mas só mais velhinha é que eu fui entender e curtir o proibido Serge da minha infância.

Achei no YouTube vários filminhos com essa emblemática chanson d’amour. E nessa que eu separei tem imagens do casal Gainsbourg/Birkin no período áureo. Ela esteve aqui no Brasil recentemente e a todo momento no show fazia referências à Serge. O cara foi marcante também na vida dela…

E Edgard Scandurra tem aqui em São Paulo um bistrô dedicado ao bardo francês, o Petit Trou – nome que saiu de uma de suas canções, naturalmente. De vez em quando Scandurra promove noites temáticas e canta Gainsbourg com um seleto grupo de amigos artistas. Quando fui tinha Natália Barros, Marisa Orth, Arthur Kohl e a linda e jovem Barbara Eugênia fazendo lady Birkin. Pra não perder.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=g0az7QHmLwI&feature=related]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: