Vitória do Brasil em Stiges: ‘Ivan, o TerrirVel’

Vitória do Brasil em Stiges: ‘Ivan, o TerrirVel’

Rodrigo Fonseca

17 de outubro de 2020 | 13h44

Ivan Cardoso em ação nos sets em imagem de “Ivan, o TerrirVel”, que deu a Mario Abbade o prêmio de melhor documentário em Stiges, em Barcelona

Rodrigo Fonseca
Deu Brasil na cabeça na premiação do Festival de Stiges, em Barcelona, a mais prestigiada vitrine mundial da fantasia (sobretudo do horror) nas telas, encarado como um pódio para o estrelato mundial: venceu “Ivan, o TerrirVel”, dirigido pelo crítico de cinema e escritor Mario Abbade (RJ). Foi para ele o troféu de Melhor Documentário da maratona fantástica espanhola, consagrando um trabalho de pesquisa dos mais louváveis. Trabalho este traduzido numa estrutura formal de linguagem inquieta e pop, capaz de servir como espelho para o legado de seu objeto de estudo: o diretor Ivan Cardoso. Filmes como “O Segredo Múmia” (1982) fizeram de Ivan um fetiche entre os fã do terror e sua mais popular variável: o terrir. Na ficção, a coroa de Stiges foi para “Possessor Uncut”, de Brandon Cronenberg, filho do realizador de “Senhores do Crime” (2007) e “A Mosca” (1986). Desde julho, Abbade vem correndo o planeta com seu .doc sobre o olhar tropicalista de Cardoso, tendo conquistado o Award of Recognition no Impact Docs, de Los Angeles, além do prêmio de melhor edição no uso de material de arquivo e montagem no Lonely Wolf London International Film Festival. De 21 a 25 deste mês ele exibe seu trabalho no Los Angeles Brazilian Film Festival e segue para a Polônia, projetando o longa em Varsóvia, no East Europe International Film Festival, em dezembro.
“O Ivan é um cineasta de invenção. Filme de terror com comédia sempre existiu, mas ele botou o molho da tropicália e da pornochanchada a essa mistura de gêneros. Nele, você vê um vampiro hippie, de chinelo, tomando água de coco em Ipanema. É uma loucura com poesia”, celebra Abbade, que vem sendo ainda mundialmente premiado com o curta “O Amor Agora é a Poeira das Estrelas de Ontem…”. “É um curta com influência oníricas de David Lynch. Assim que aparecer a vacina apara a covid-19, lanço ‘Ivan, o TerrirVel’ no Brasil”.

O crítico carioca com o mestre do terrir

Em paralelo à sua consagração em Stiges, Abbade está trabalhando agora em um roteiro de uma ficção, no filão do terror, e prepara uma adaptação para as telas de seus dois livros “O Mitômano” e “New York City – A Discoteca Que Iniciou a Era Disco no Brasil”, ambos escritos em parceria com Celso Rodrigues Ferreira Júnior. Como roteirista, o crítico e documentarista carioca tem como parceiros Sylvio Gonçalves e Vítor Sousa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: