Vincent Cassel faz de ‘Fleuve Noir’ o policial do momento

Vincent Cassel faz de ‘Fleuve Noir’ o policial do momento

Rodrigo Fonseca

16 de julho de 2018 | 17h33

Rodrigo Fonseca
Sensação nos anos 1990, quando dirigiu A Vida Sonhada dos Anjos (1998), o cineasta Erick Zonca voltou a despontar no cenário francês, agora no terreno policial, graças à potência sombria de Fleuve Noire, um thriller amargo, decalcado da literatura de Dror Mishani.  Sempre eficiente, Vincent Cassel incandesce a tela no papel de um tira alcoólatra, repleto de ciladas domésticas (entre elas a dificuldade de lidar com o filho), às voltas com a tarefa de encontrar um adolescente rico. Um ex-professor do guri, vivido por Romain Duris, oferece seus serviços para ajudar na busca pelo rapaz. Mas sua adesão ao caso parece apaixonada demais. A crítica anda farejando neste longa-metragem uma promessa de renovação para as narrativas detetivescas da França nos cinemas.

 

Tendências: