Verhoeven, a laranja mecânica da Holanda em Cannes

Verhoeven, a laranja mecânica da Holanda em Cannes

Rodrigo Fonseca

10 de maio de 2016 | 12h19

Paul Verhoeven dirige Isabelle Huppert

Paul Verhoeven dirige Isabelle Huppert “Elle”

Acalorada por evacuações forçadas dos Palais des Festivals, num teste concebido como medida de segurança para testar as defesas do centro nervoso do maior evento cinéfilo da Europa, Cannes se prepara para seu 69° duelo anual pela Palma de Ouro – a ser iniciado nesta quinta-feira, dia 11 – de olhos vidrados no novo e esperadíssimo longa-metragem do holandês Paul Verhoeven. Não há uma revista ou jornal em circulação pela Croisette, nesta véspera de inicio do Festival de Cannes, que não dedique generosa centimetragem ao thriller Elle, filmado na França tendo Isabelle Huppert como protagonista. Talvez para realçar o apetite local pela nova produção do cultuado realizador de Instinto Selvagem (1992), a direção do evento reservou sua projeção para o derradeiro dia de competição: 21/5. Sabe-se apenas que Isabelle é a cabeça de uma empresa desenvolvedora de games e que esta personagem é alvo de uma agressão por parte de um criminoso que invade sua intimidade e mexe com seu desejo.