Uma ‘Sessão da Tarde’ pra lá de ‘intocável’

Uma ‘Sessão da Tarde’ pra lá de ‘intocável’

Rodrigo Fonseca

12 de abril de 2021 | 13h32

Rodrigo Fonseca
Divisor de águas na relação do cinema francês com plateias estrangeiras de outras línguas, por redefinir a medula folhetinesca das dramédias a partir de fatos reais, o quindim “Intocáveis” (“Intouchables”, 2011), que vendeu 19 milhões (!) de ingressos em seu país e faturou US$ 426 milhões mundialmente, vai ganhar a TV aberta brasileira nesta segunda-feira, às 15h10, na Globo. É um jubilo ver a tradicional “Sessão da Tarde” afinada com sucessos de outras línguas que não só o inglês – a tecla SAP tá aí pra isso. Pilotado pela dubla de realizadores Olivier Nakache e Éric Toledano, o longa-metragem vai ser exibido em versão brasileira, com o mestre Nelson Machado dublando François Cluzet e com Affonso Amajones dando a voz ao banho de descarrego que Omar Sy nos dá em sua atuação. Há uma dimensão quase fabular no encontro de um aristocrata (Cluzet) amargurado pela morte de sua mulher e pela perda do movimento das pernas e um pobretão (Sy) cheio de vida, capaz de fazer seu patrão, um cadeirante desencantado, recuperar a vontade de viver. Essa centelha de perseverança fez com que “Intocáveis” ganhasse uma série de versões em outros países. No Brasil, o filme foi transformado em peça de teatro, com Ailton Graça e Marcelo Airoldi, em 2015. Um ano depois, os argentinos adaptaram a trama da França para a América do Sul, com Oscar Martínez e Rodrigo De La Serna – o filme foi traduzido por aqui como “Inseparáveis”. Nos EUA, em 2018, ele virou “Amigos Para Sempre”, com Kevin Hart, Bryan Cranston e Nicole Kidman.
“Tudo o que a gente buscava ali era fazer uma crônica de costumes sobre as coisas simples da vida, como a solidariedade e o respeito ao próximo. Temos uma predileção por histórias que busquem humor na troca de culturas e de experiências de vida”, disse Toledano ao Estadão P de Pop no fórum Rendez-vous Avec Le Cinéma Français, em Paris, em 2020. “Nem a gente esperava que um filme sobre amigos pudesse viajar o mundo como ‘Intocáveis’ viajou. Mas a amizade é um bem universal”.
Sy abriu 2021 com a popularidade a mil à força da série “Lupin”, da Netflix.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.