Sete filmes para celebrar o cinema brasileiro

Sete filmes para celebrar o cinema brasileiro

Rodrigo Fonseca

18 de junho de 2022 | 11h51

BENDITO FRUTO

RODRIGO FONSECA
Há quem considere a data de 19 de junho o Dia do Cinema Brasileiro, por marcar as primeiras filmagens de uma produção em nossas terras. Alguns jogam a efeméride para 5 de novembro, referindo-se a uma projeção inaugural aqui. Seja qual for a data, neste momento em que estão em cartaz títulos seminais como “Amigo Secreto”, de Maria Augusta Ramos – que dá uma aula de montagem – e “Espero Que Esta Te Encontre E Que Estejas Bem”, de Natara Ney, temos uma profusão de bons filmes nacionais n streaminguesfera. Confira aqui alguns imperdíveis:

DOUTOR GAMA (2019), de Jeferson De: Novo trabalho do realizador de “Bróder” (2010), a cinebiografia do advogado abolicionista Luiz Gama (1830-1882), responsável pela libertação de cerca de 500 escravizados é um estudo da intolerância no país. Romeu Evaristo é um dos destaques do elenco. Onde ver: Globoplay

DOUTOR GAMA

ME TIRA DA MIRA (2022), de Hsu Chien Hsin: Roberta (Cleo) é uma funcionária dedicada da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que se infiltra como agente secreta na Clínica Bianchini de Realinhamento Energético. Sua tarefa é investigar a misteriosa morte da atriz Antuérpia Fox (Vera Fischer). Durante a investigação, ela reencontra seu grande amor do passado, o policial federal Rodrigo (Sérgio Guizé), que está investigando uma suspeita de tráfico. Fábio Jr. vive Jorge, chefe da Polícia Federal. Onde ver: HBO Max

JUSTIÇA (2004), de Maria Augusta Ramos: Um balanço do sistema jurídico brasileiro, que analisa a liturgia do Direito numa observação de juízes, promotores, defensores públicos e réus, numa narrativa editada por Joana Collier, Virginia Flores, Vivianne Rodrigues de Brito e pela própria cineasta. Onde ver: Netflix

MUSSUM: UM FILME DO CACILDIS (2019), de Susanna Lira: Documentário que conta a trajetória do músico e comediante Antônio Carlos Bernardes Gomes (1941-1994), o Mussum. Narrado por Lázaro Ramos, .doc da realizadora de “A Torre das Donzelas” (2018) aborda a rotina dele como vocalista do grupo Os Originais do Samba. Vasculha ainda os bastidores de sua trajetória no cinema e na TV como integrante do humorístico Os Trapalhões, grupo que revolucionou a forma de fazer humor na teledramaturgia brasileira. Onde ver: Amazon Prime

MUSSUM: UM FILME DO CACILDIS

BENDITO FRUTO (2004), de Sérgio Goldenberg: Um caso raro de comédia que disputou o troféu Candango de Brasília. Otávio Augusto agiganta a telona no papel de Edgar, dono de um salão de beleza que vive, há anos, um caso secreto com a apaixonada Mari (Zezeh Barbosa), sem valorizar o coração da moça. Mas a chegada de um antigo amor de seu passado (vivido por Vera Holtz) vai forçar Edgar a sair da inércia. Onde ver: Globoplay

PRAÇA PARIS (2017), de Lucia Murat: Grace Passô ganhou o troféu Redentor de Melhor Atriz, no Festival do Rio, por este drama de tom sociológico, laureado ainda com o prêmio de Melhor Direção. Na trama, a ascensorista Glória (Grace), irmã de um traficante, conta com uma jovem psicanalista portuguesa (Joana de Verona) para externalizar seus traumas ligados à exclusão no Rio. Mas a relação delas vai ferver sob a temperatura máximo do tráfico. Digão Ribeiro é um dos destaques do filme, no papel de um motoboy que trava uma relação de amor com Glória. Onde ver: Reserva Imovision

ENTRE IDAS E VINDAS (2016), de José Eduardo Belmonte: Um dos filmes mais graciosos de uma obra prolífica, sempre atenta aos abismos do querer, que tira Ingrid Guimarães da representação bem-humorada atual e leva a comediante para um terreno agridoce, ao lado de um ator gigante que é Fábio Assunção. Ele vive Afonso, um professor que cai na estrada com seu filho, Benito (João Assunção, rebento de Fábio), e, após um problema em seu carro, recebe a ajuda de quatro amigas em viagem: Amanda (Ingrid), Cillie (Caroline Abras), Krisse (Rosane Mulholland) e Sandra (Alice Braga). Onde ver: Star +

ME TIRA DA MIRA

p.s.: Neste domingo, às 16h, rola “Os Trapalhões e o Rei do Futebol” (1986) na Tv Brasil.

p.s.2: Prestes a regressar aos cinemas no papel de um super-herói aposentado em “Samaritan” e já assegurado no terceiro tomo da franquia “Guardiões da Galáxia”, revivendo Stakar Ogord, Sylvester Stallone tem mobilizado espectadores com o trailer de “Tulsa King”, a primeira experiência como protagonista de série de sua carreira, iniciada em 1969. Estreia dia 13 de novembro na Paramount +. Taylor Sheridan, responsável pelo sucesso “Yellowstone”, é um dos criadores do projeto, que tem Terence Winter (de “A Família Soprano”) à frente do roteiro e da concepção de um universo mafioso. Stallone encarna Dwight Manfredi, o General, um gângster que passou 25 anos no xilindró e sai da cadeia com a missão de erguer uma célula da máfia em Tulsa, encarando uma realidade social diferente daquela em que se configurou como um criminoso assustador.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.