Se eu fosse do júri, os Ursos iam pra…

Se eu fosse do júri, os Ursos iam pra…

Rodrigo Fonseca

24 de fevereiro de 2018 | 07h30

“Don’t Worry, He Won’t Get Far On Foot”, de Gus Van Sant, é baseado em fatos reais da luta pela superação de um cartunista paraplégico

Se Tom Tykwer, presideinte do júri da Berlinale.68, pedisse o meu palmarês para ajudar em sua decisão, eu diria:

Urso de Ouro: Don’t Worry, He Won’t Get Far On Foot, de Gus Van Sant (EUA)

Grande Prêmio do Júri: U-July 22, de Erik Poppe (Noruega) e Transit, de Christian Petzold (Alemanha)

Direção: Marcelo Martinessi, por Las Herederas (Paraguai) e Laura Bispuri, por Figlia Mia (Itália)

Atriz: Marie Bäumer, por 3 Days in Quiberon (Alemanha)

Ator: Franz Rogowski, por In The Aisles (Alemanha)

Roteiro: Alonso Ruizpalacios e Manuel Alcalá, por Museo (México)

Contribuição Artística: Adam Stockhausen e Paul Harrod, pela direção de arte de Ilha de Cachorros (EUA) e Michael Englert, pela fotografia de Mug (Polônia)

Troféu Alfred Bauer: Touch Me Not, de Adina Pintilie (Romênia)

 

“U-July 22”: memória do horror

Tendências: