Se a Palma de Ouro fosse minha…

Se a Palma de Ouro fosse minha…

Rodrigo Fonseca

22 de maio de 2016 | 12h41

Caso eu fizesse parte do time de jurados de George Miller, este seria o meu palmarês:

“The Salesman”, de Asghar Farhadi

Palma de Ouro: The Salesman, de Asghar Farhadi;
Grand Prix: Toni Erdmann, de Maren Ade;
Direção: Paul Verhoeven, por Elle;
Atriz: Sonia Braga, por Aquarius;
Ator: Adam Driver, por Paterson;
Roteiro: Jim Jarmusch, por Paterson, e Kleber Mendonça Filho, por Aquarius: um empate valorizando a poesia, de um lado, e a memória, do outro;
Prêmio do Júri: I, Daniel Blake, de Ken Loach, e Juste La Fin Du Monde, de Xavier Dolan: para unir a madureza marxista de um com a joavialidade afetiva do outro;
Prix du 69ème – Prix de l’Espoir (Prêmio da Esperança, uma laurea sazonal aqui): The Last Face, de Sean Penn
Contribuição Artística: para Natasha Braier pela fotografia de The Neon Demon, de Nicolas Winding Refn.

“Elle”, de Paul Verhoeven

Pela boataria local, o resultado seria este:
Palma de Ouro: The Salesman, de Asghar Farhadi;
Grand Prix: Elle, de Paul Verhoeven;
Prêmio do Júri: Toni Erdmann, de Maren Ade, e I, Daniel Blake, de Ken Loach;
Atriz: Sonia Braga, por Aquarius;
Ator: Adam Driver, por Paterson
Direção: Xavier Dolan, por Juste La Fin Du Monde;
Roteiro: Kleber Mendonça Filho, por Aquarius;
Contribuição Artística: Ma Loute, de Bruno Dumont.