Sci-fi cearense é destaque da Mostra do Filme Livre

Sci-fi cearense é destaque da Mostra do Filme Livre

Rodrigo Fonseca

02 Abril 2017 | 15h29

Ficção científica rodada no Ceará,

Ficção científica rodada no Ceará, o hi-tech “Janaína Overdrive” é uma das apostas da Mostra do Filme Livre, um canteiro de invenção

RODRIGO FONSECA
Puxadinho dedicado à invenção no canteiro dos festivais brasileiros, a Mostra do Filme Livre esbanja provocação, transgressão e bom gosto no repertório de sua 16ª edição, iniciada na quarta passada no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. Ela segue no CCBB-RJ até o dia 24 de abril, trazendo entre suas atrações obrigatórias uma homenagem à cineasta Paula Gaitán (de Agreste) e a coletânea de longas do projeto autoral Tela Brilhadora, do qual surgiu O Prefeito e O Espelho. Neste domingo, tem o imperdível Planeta Escarlate, de Dellani Lima e Jonnata Doll, às 19h. Segunda, rola o tratado de inconformismo político Jovens Infelizes ou Um Homem Que Grita Não é Um Urso Que Dança, de Thiago B. Mendonça, às 18h. Mas tem um curta que merece toda atenção: Janaína Overdrive, agendado para o dia 8, às 15h.

Apelidado de “Blade Runner cearense”, Janaina Overdrive é um filme de ficção científica ambientado num Brasil hi-tech, cujo submundo é infestado de bandidos meio gente, meio máquina. Ele virou sensação – e prova de criatividade – no cardápio ibero-americano do Cine Ceará 2015, apresentando a um público de diferentes línguas uma heroína trans-ciborgue, ou seja, uma transsexual cibernética. Centrada na luta de Janaina (Layla Kayã Sah) pela liberdade de seu corpo e de seu desejo, a produção, dirigida por Mozart Freire, apresenta personagens como cyberrappers, clones e samurais urbanos com olhos biônicos. Eles infestam a tela, dando um ar cyberpunk ao filme.
É comum se apontar Pernambuco com um canteiro de ideias cinematográficas em ebulição no cenário atual do cinema brasileiro, mas o brilho do Nordeste em nossas telas vai além do Recife, com vem comprovando uma recente safra do Ceará, hoje com projeção internacional. Desde o cultuado Estrada para Ythaca (2010), o estado ganha notoriedade – e prêmios – filme a filme. E Janaina Overdrive é fruto dessa renovação.