Peppino di Capri leva emoções ao Vivo Rio neste sábado

Peppino di Capri leva emoções ao Vivo Rio neste sábado

Rodrigo Fonseca

22 de março de 2019 | 14h53

Rodrigo Fonseca
Mestre do cancioneiro romântico italiano, Giuseppe Faiella, mais conhecido como Peppino di Capri, é parte indelével do imaginário afetivo graças ao eco de canções como “Un Grande Amore e Niente Più”, “Champagne” e “Roberta”, que ele repete a cada nova visita ao Brasil, onde cantou pela primeira vez em 1961, no Teatro Record. Neste sábado, ele passa pelo Rio de Janeiro para mais uma dose de suspiros coletivos, de carona nos acordes de “Il sognatore” e outros hits. A apresentação do cantor e compositor será às 21h no Vivo Rio. “Per Amore” é o nome do show, que conta com a participação de Zizi Possi. A noite funcionará como reedição e reinvenção das boas memórias recentes que ele colheu dos palcos nacionais. Em maio de 2017, o astro fez uma tournée de sucesso pelo Brasil, e ainda no mesmo ano apresentou-se nos EUA e no Canadá. Está ainda previsto o lançamento de um novo álbum, a sair em breve.

Peppino está na estrada desde 1958. Sua fama cresceu quando passou a participar do célebre Festival de San Remo, o mais importante da música italiana, que foi vencido por ele em 1973 com “Un Grande Amore e Niente Piu” e em 1976 com “Non Io Faccio Pio”. Ele conquistou o Festival de Napoli, em 1970, e participou de mais de 25 festivais.No Natal de 2016, Peppino lançou três novas músicas: “I Miei Capelli Bianchi”, “Anche Se” e “Sogno Di Uma Sera D’Estate”, que estão contidos no álbum “Una Musica Infinita”, referência obrigatória para seus fãs.

p.s.1: Finalmente Brian De Palma vai voltar às telas: dia 31 de maio estreia “Dominó”, incursão do mestre do suspense pela indústria cinematográfica escandinava, com o galã Nikolaj Coster-Waldau (o Jamie Lannister de “Game of Thrones”) na pele de um policial à caça dos assassinos de seu parceiro, envolvidos com uma célula terrorista e com uma conspiração da CIA. Há quem diga que o longa-metragem vai passar por Cannes, cujo festival vai de 14 a 25 de maio.

p.s.2: Dois filmes da cineasta Latifa Said – o documentário “Tahiti” e a ficção “Terrain Vague” – passam neste sábado (dia 23), às 15h, no Centro Cultural do Banco do Brasil do Rio de Janeiro, integrados na Mostra de Cinema Árabe Feminino.

p.s. 3: Danis Tanovc, diretor bósnio responsável pelo cult “Terra de ninguém” (2001), está filmando em locações no Reino Unido, na Suécia e na Noruega um thriller policial em língua inglesa: “The Postcard Killings”, com Jeffrey Dean Morgan e Connie Nielsen. A trama tem como base um romance de James Patterson e Liza Marklund. Na trama, Morgan é um detetive de Nova York que investiga a morte de sua filha e de seu genro. A única pista do crime é uma série de cartões enviados pelo Correio às vítimas.

Tendências: