Os premiados da Berlinale: venceu a nulidade

Os premiados da Berlinale: venceu a nulidade

Rodrigo Fonseca

18 de fevereiro de 2017 | 17h44

Contrariando a coragem que imprime em seus filmes, Paul Verhoeven premiou o que havia de mais conservador na seleção de Berlim:

 

Urso de Ouro: On Body and Soul, de Ildikó Enyedi (Hungria)
Grande Prêmio do Júri:
Félicité, de Alain Gomis

Direção: Aki Kaurismäki (On The Neach At Night Alone)

Roteiro: Sebastián Lelio e Gonzalo Maza por Una Mujer Fantástica

Troféu Alfred Bauer (inovação de linguagem): Spoor, de Agnieszka Holland

Atriz: Kim Monhee (On The Beach At Night Alone)

Ator: Georg Friedrich (Bright Nights)

Contribuição Artística: a montadora Dana Bunescu, pela edição de Ana, Mon Amour

 

Urso de Ouro de Curta-Metragem: Cidade Pequena, de Diego Costa Amarante (Portugal)

Prêmio do Júri de Curtas: Ensueño en la Pradera, de Esteban Arrangoiz (México)

Prêmio Audi de Curtas: Street of Death, de Karam Ghossein (Líbano)

Menção Honrosa de Curtas: Centauro, de Nicolás Suárez (Argentina)

 

Melhor Longa de Estreante: Summer 1993, de Carla Simon

Prêmio Glashütte de Documentário: Ghost Hunting, de Raed Andoni (Palestina)

Prêmio da Crítica (Fipresci): On Body and Soul (Hungria), de Ildikó Enyedi, na competição oficial, e Pendular(Brasil) na mostra Panorama
Prêmio do Júri Ecumênico:
On Body and Soul, com menção honrosa para Una Mujer Fantástica, deSebastián Lélio (Chile)

Teddy (troféu LGBT): Una Mujer Fantástica