‘O Lagosta’, iguaria autoral no streaming

‘O Lagosta’, iguaria autoral no streaming

Rodrigo Fonseca

24 de junho de 2020 | 13h10

Rodrigo Fonseca
Envolvido hoje com um projeto de curta-metragem ligado à Opera Nacional da Grécia, seu país de origem, Yorgos Lanthimos alcançou a consagração como realizador ao ser indicado ao Oscar de melhor direção por “A Favorita”, há um ano, consolidando uma das mais provocativas obras do cinema contemporâneo. Ele despontou para os holofotes da indústria audiovisual em 2009, com “Dente Canino”, mas foi “The Lobster”, aqui literalmente “O Lagosta”, que fez de seu nome uma garantia de inquietude. Indicada à estatueta de melhor roteiro original da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, há quatro anos, a produção de US$ 4 milhões saiu de Cannes, em 2015, com o Prêmio do Júri, votado pelos Irmãos Coen. Esta semana, este filmaço fotografado por Thimios Bakatakis entrou na grade do Globoplay, com Felipe Grinnan dublando um inspirado Colin Farrell. Com uma pancinha de cerveja, ele encarna David, um coração partido que busca a reinvenção nesta ficção cientifica de tintas românticas sobre um futuro distópico no qual apaixonados são transformados em animais em um processo de acasalamento que busca esterilizar afetos. Este é um dos temas recorrentes de Yorgos: o preço do querer, a monetização do desejo. No mundo criado pelo cineasta, figuras solitárias como David são levadas a uma instituição chamada O Hotel, no qual eles passam por uma espécie de ritual de acasalamento, em busca de uma/um parceira/ro. Quem falhar vai virar um bicho e vai ser abandonado em uma floresta. Mas, nesse local existe uma célula de resistência, cuja meta é devolver à Humanidade seus instintos primais. Esse é um tema que faz de Yorgos um autor, voltando sempre a seus longas, como se viu em seu premiado “O Sacrifício do Cervo Sagrado”, de 2017. Rachel Weisz é um dos destaques do elenco, no papel de uma mulher de visão estreita, que rejeita a moral vigente. Logo no início, há uma sequência hilária em que David é obrigado a decidir se quer sexo com mulheres ou homens.

p.s.: O premiado projeto Grandes Músicos para Pequenos, criado pela produtora Entre Entretenimento, apresenta a sua segunda livezinha: “Raulzito Beleza – Raul Seixas para Crianças”, dia 28 de junho, às 16h, data em que o cantor e compositor completaria 75 anos. Com direção de Diego Morais e roteiro de Pedro Henrique Lopes, o programa vai reunir trechos pré-gravados do musical infantil homônimo e quadros inéditos para toda a família. Quer aparecer na live com seus filhos? Basta mandar um vídeo cantando qualquer música do Raul Seixas por DM para o IG @grandesmusicosparapequenos. A apresentação faz parte do projeto Diversão em Cena e vai ser exibida em suas redes sociais, Facebook (facebook.com/DiversaoEmCena), Instagram (@diversaoemcena) e Youtube (bit.ly/diversaoemcena).
p.s.2: É noite de Ben Affleck na Globo, dublado por Jorge Lucas me um inesperado sucesso: “O Contador” (“The Accountant”, 2016). Sob a direção de Gavin O’Connor, o ator e cineasta vive um contador que tem um inusitado treinamento militar, posto à prova quando sua clientela, toda ilícita, começa a cair.
p.s.3: Um dos achados da Berlinale, “Digger”, de Georgis Grigorakis, cresce no boca a boca dos cinéfilos europeus. Gestada silenciosamente na Grécia, este drama de seiva política tornou-se uma das produções mais elogiadas da seção Panorama. Num pesaroso tom trágico, vitaminado pela montagem reflexiva de Thodoris Karvelas, este drama sobre a solidez que se desmancha no ar – pela ausência de dialéticas sociais – parte de um deslizamento de terra na região onde fica uma pequena propriedade rural… uma cabaninha. Seu dono, Nikita (Vangelis Mourikis) vive agrilhoado à modorra do Tempo, nesse local de lama, até que seu filgo regressa, depois de 20 anos de ausência, para cobrar a herança materna. Mas a situação já tensa entre os dois há de se agravar com a presença de uma construtora que quer se apossar do local. Nesse enredo, Sófocles dá as mãos a Karl Marx em um estudo sobre a erosão dos afetos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: