Mistério de Zhang Yimou na Berlinale

Mistério de Zhang Yimou na Berlinale

Rodrigo Fonseca

03 de janeiro de 2020 | 12h40

Rodrigo Fonseca
Nada se sabe, até o momento, sobre a seleção competitiva da 70ª Berlinale (agendada de 20 de fevereiro a 1º março) fora o fato de haver uma coletiva de imprensa com os novos diretores artísticos do evento, Mariette Rissenbeek e Carlo Chatrian, marcada para 29 de janeiro, data em que serão anunciadas atrações principais e paralelas e quando será comentado o “Caso Zhang Yimou”. As aspas se referem a um incidente da seleção de 2019: “One Second”, o novo filme do mestre chinês responsável por pérolas como “A História de Qiu Ju” (Leão de Ouro de 1992), foi retirado da disputa pelo Urso de Ouro. Saiu sem explicação prévia. A justificativa dada: a produção ainda não estava 100% finalizada. O rumor generalizado: o governo da China teria reprovado a dimensão política da narrativa de Yimou, censurando-a para cortes. A trama tem como foco a amizade entre um cinéfilo a uma jovem que vive sem teto, em uma província. Falava-se que seria o melhor trabalho recente do cineasta, que botou o planeta pra chorar, em 1988, com “Sorgo Vermelho”, e abalou nervos, em 2002, com “Herói”. Em sua passagem pelo Festival de Pingyao (PYIFF), de seu conterrâneo Jia Zhangke, realizado em outubro, Zhang Yimou falou de um outro projeto para lançar este semestre, já em finalização, que também teria Berlim como vitrine. Esse longa em fase de conclusão é um thriller de espionagem chamado “Impasse”. Zhag Yi (de “Flores do Oriente”) é o protagonista.

Na ocasião do PYIFF, ele comentou que espera ver “One Second” em circuito, apesar dos percalços por que passou. Em 2 de abril, o realizador de “Lanternas Vermelhas” (1991) completa 70 anos. Seria uma ocasião ideal para ver sua criação nascer, com liberdade, nas telonas.

p.s.: Prestes a voltar ao circuito francês, à frente de “Le prince oublié”, uma das apostas do 22º Rendez-vous Avec Le Cinéma Français, da Unifrance, agendado de 16 a 20 de janeiro, Omar Sy vai injetar carisma na TV aberta do Brasil, esta noite, com a exibição de “Uma Família De Dois” (“Demain tout commence”), na Globo. O filme é a pedida desta sexta no Festival Ano Novo, às 22h20, após a novela “Amor de Mãe”. O astro de “Intocáveis” (2011) assume o papel central desta refilmagem do fenômeno mexicano “Não aceitamos devoluções”. Dublado pelo ator Wellington Lima na versão brasileira do longa, Sy interpreta Samuel, um solteirão que nunca foi de ter muitas responsabilidades. Levando uma vida tranquila, ao lado das pessoas que ama, no litoral sul da França, Samuel vê tudo mudar com a chegada inesperada de uma bebê de poucos meses chamada Glória, filha que ele não planejou. A mãe deixa o neném aos cuidados dele. Incapaz de cuidar da criança, ele corre para Londres a fim de devolvê-la à moça. Sem sucesso, decide criá-la sozinho, trabalhando como dublê. Oito anos se passam… Samuel e Glória estão vivendo no apogeu do afeto. Mas a mãe regressa e quer levar a guria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.