MIS-SP com a brilhantina de Travolta

MIS-SP com a brilhantina de Travolta

Rodrigo Fonseca

14 Junho 2018 | 11h35

Rodrigo Fonseca
Depois de botar Cannes pra sacudir o esqueleto na comemoração de seu 40º aniversário, o musical Grease, ou Nos Tempos da Brilhantina, um fenômeno popular mundial em 1978, vai fazer o Museu da Imagem e do Som de SP dançar na próxima terça-feira. De carona na edição remasterizada do filme deRandal Kleiser, em DVD e Blu-Ray, cheinha de bônus, que acaba de lançar, a Paramount Pictures Home Entertainment vai fazer uma exibição comemorativa desta joia canora no dia 19 de Junho, no MIS (Avenida Europa, 158, Jardim Europa), das 18h às 22h. Ele custou US$ 6 milhões para sair do papel e arrecadou US$ 394 milhões. Ouvidos brasileiros vão sempre misturar o nome Travolta à voz deMario Jorge, gênio da dublagem que, desde os anos 1980, nos tempos da extinta Herbert Richers, empresta seu gogó ao astro de 64 anos. Por uma decisão absurda, o Telecine exibe atualmente o longa-metragem SEM a dublagem de Mario. É culpa de um crime contra o patrimônio cultural brasileiro chamado de redublagem, que anda apagando as versões feitas por grandes atores nacionais do passado. O assunto não deve chegar à alçada deTravolta, mas valeria a pena ele saber. Porém, o interesse maior do astro, no momento, é divulgarGotti, filme de gângster que estreia amanhã nos EUA e pode dar a ele sua terceira indicação ao Oscar. Antes, ele concorreu porEmbalos de Sábado à Noite (1977) e por Pulp Fiction (1994).
Um detalhe sobre a trajetória de Travolta costuma ser esquecido: seu desempenho como cantor. Em 1976, ele ficou meses na lista dos discos mais vendidos com a cançãoWhenever I’m Away From You. Em 1997, gravou com Carly Simon a faixa Two Sleepy People no CD Film Noir.

Mais conteúdo sobre:

Mário JorgeJohn TravoltaGreaseMIS