‘Menashe’ joga tempero iídiche no menu da comédia

‘Menashe’ joga tempero iídiche no menu da comédia

Rodrigo Fonseca

17 de julho de 2017 | 14h03

RODRIGO FONSECA
Tá feia a situação da comédia… e de seu derivado mais amado, a comédia romântica… este ano, em múltiplos mercados, sobretudo o circuito americano, no qual uma pequenina e autoralíssima produção, pilotada por um documentarista, o estreante em ficções Joshua Z Weinstein, desponta como o mais criativo (e premiável) exercício do gênero de 2017: Menashe. Sensação no Festival de Berlim, onde integrou a seleção da seção Fórum, esta dramédia falada em iídiche estreia nos EUA dia 28 de julho, repleta de elogios, retratando a luta de um judeu ortodoxo viúvo para preservar consigo a guarda de seu filho. Há um cuidado quase obsessivo da direção para evitar qualquer tangência com a caricatura, o que acaba facilitado pelo desempenho do ator Menashe Lustig na construção do papel principal. Com seu jeitão atrapalhado, o personagem é um convite a gargalhadas a cada novo deslize que comete. Mas seu zelo apaixonado pela condição de pai humaniza suas ações para além das veias do patético. Já se fala em indicações ao Oscar.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: