‘Max Rose’ traz um Jerry Lewis em grande estilo de volta às telas

‘Max Rose’ traz um Jerry Lewis em grande estilo de volta às telas

Rodrigo Fonseca

05 Agosto 2016 | 15h38

Exibido em Cannes,

Exibido em Cannes em 2013, a dramédia “Max Rose” põe o nonagenário humorista num dilema amoroso

RODRIGO FONSECA

Exibido em Cannes, em 2013, numa projeção em homenagem a Jerry Lewis, a comédia de tintas dramáticas Max Rose, de Daniel Noah, só agora encontrou vaga para estrear nas telas dos EUA, mas o faz com pompa a fim de cavar indicações ao Oscar para o nonagenário ator e diretor. Embalado por uma adocicada trilha sonora do maestro Michel Legrand, a produção entra em circuito americano na primeira semana de setembro trazendo Lewis no papel de um pianista em fim de carreira. Sua mulher está às portas da morte e ele começa a se preparar para a viuvez. Mas a descoberta de um segredo dela vai jogar sua paz pelo ralo, conduzindo o veterano músico a uma revisão de seu passado. Kevin Pollack e Kerry Bishé integram o elenco como a família do astro no longa-metragem. A fotografia é de Christopher Blauvelt, o mesmo de Bling Ring (2013), de Sofia Coppola.

“É uma história sobre rearranjos emocionais e sobre a percepção de que amadurecer é um verbo que a gente não para de conjugar com a idade”, disse Noah em Cannes.