Mariana Caltabiano, de Zuzubalândia para o mundo

Mariana Caltabiano, de Zuzubalândia para o mundo

Rodrigo Fonseca

03 de junho de 2019 | 13h11

Rodrigo Fonseca
Tem DNA brasileiro, e dos mais animados, na Licensing Expo Las Vegas 2019, uma das maiores feiras de licenciamento de produtor do mundo: um estande tamanho GG de “Zuzubalândia”, série de TV que roda pelo Boomerang, Cartoon Network e SBT, e já é um dos 5 desenhos mais vistos do Now!, no cabo. A responsável é a diretora Mariana Caltabiano, cineasta e escritora paulistana responsável por livros como “Jujubalândia” que acabou inspirando uma série feita com bonecos exibida pela emissora de Silvio Santos. Para a TV Globo, ela criou as séries “Turma da Garrafinha”, “Flora Encantada” e “Bigode & Bicudo”. Dirigiu ainda o filme “Brasil animado 3D” (2011). “Além de Las Vegas, também teremos estande na Comic-Con, de 90m2”, orgulha-se a realizadora.
“Em termos de qualidade e quantidade, acredito que a animação brasileira esteja em sua melhor fase. Hoje temos produções nacionais em praticamente todos os canais infantis competindo de igual para igual com as internacionais”, diz Mariana. “Nossa ‘Zuzubalândia’ foi a primeira coprodução original do Boomerang. Foi lançada simultaneamente em toda a América Latina. Acabamos de iniciar a produção da 2ª temporada. Temos ainda a série ‘Gui e Estopa’, que também foi exportada por todo o continente. Agora, estamos finalizando a 5ª temporada dela”.

Realizada de 4 a 6 de junho nos EUA, a Licensing Expo vai servir como vitrine para uma série de produtos derivados do universo de ficção de Mariana. “Já estão disponíveis no mercado o Mel da Zuzu da Baldoni, a linha da Tupperware e a Caixinha Invente Histórias da Editora Matrix. No segundo semestre deste ano, serão lançadas duas linhas de brinquedos, uma pela Estrela e outra pela Samba Toys, e também as escovas de dentes da Climaco. No início de 2020, chega a coleção Zuzubalândia Volta às Aulas com mochilas, estojos e lancheiras da Luxcel. Em dezembro, teremos um estande de Zuzubalândia na Comic Con”, enumera Mariana. “Por enquanto não temos planos para longas, pois nosso foco são as séries, mas como diria o Gui, do ‘Gui & Estopa’, nunca diga nunca”.

Os animadores que mais influenciaram a formação de Mariana foram os talentos da Disney, dos estúdios Hanna Barbera e Tex Avery. “Maurício de Sousa foi uma grande influência na escolha da minha profissão. Lembro de ainda muito pequena perguntar para o meu pai qual era a profissão do Maurício e dizer que eu queria fazer o mesmo. Até hoje ele me instiga pela força e longevidade da sua criação. Também admiro muito o sucesso comercial dos criadores da ‘Galinha Pintadinha’, a área de licenciamento é dificílima e eles conseguiram ir muito longe”, diz a cineasta.

Projetos como “Zuzubalândia” são frutos de um estúdio de animação que fica em São Paulo, na Faria Lima. “Temos uma equipe de 15 pessoas fixas e outras que são contratadas por projetos. No início, fazíamos animação tradicional, no papel mesmo. Há alguns anos trabalhamos com a técnica cut out e o programa Toon Boom. A parte de áudio de ‘Gui e Estopa’ é feita na Input Arte Sonora. ‘Zuzubalândia’ na Ultrassom, explica Mariana. “Em ambas as séries, o que fazemos são vozes originais e não dublagem. Digo isso porque as vozes são gravadas primeiro e a animação é feita depois, seguindo a interpretação dos atores. Dublagem ocorre normalmente quando um desenho vem de fora e precisa ser traduzido para o português”.

Tudo o que sabemos sobre:

animaçãoBrasil AnimadoMariana Caltabiano

Tendências: