Jasmine Trinca vira a musa de Cannes com ‘Fortunata’, quitute à italiana

Jasmine Trinca vira a musa de Cannes com ‘Fortunata’, quitute à italiana

Rodrigo Fonseca

21 Maio 2017 | 17h13

Jasmine Trinca tem atuação devastadora no papel central de ‘Fortunta’, de Sergio Castellitto: destaque da Un Certain Regard

RODRIGO FONSECA

Chegou da terra de Sophia Loren a primeira atuação feminina memorável do Festival de Cannes 70: é difícil haver um coração que não amoleça com o trabalho da romana Jasmine Trinca em Fortunata, um tardio exercício de neorrealismo, cheio de especiarias pop, dirigido pelo ator Sergio Castellitto. Virou a atração mais bem comentada do dia na seção Un Certain Regard, que adora inventar prêmios para atrizes (com razão, pois a mostra foi criada apenas para premiar filmes e diretores, o que sempre é um desperdício de talentos). Jasmine vive uma cabeleireira pobre, que luta para realizar seus sonhos enquanto lida com a educação da filha, com um ex abusivo e com o interesse dos homens por suas belas curvas. Mas o amor vai bater em sua porta, se ela souber deixar a entrada de seu surrado coração aberto. Tem clichê a dar com o pau… mas todos bem empregados, além de uma fotografia de filtros e lentes não convencionais a dramédias na câmera de Gian Filippo Corticelli. Trata-se daqueles filmes cuja doçura se sobrepões às obviedades. Excelente pedida para manter viva a chama do cinema italiano no circuito brasileiro.