Isabel Coixet funde amor e suspense

Isabel Coixet funde amor e suspense

Rodrigo Fonseca

15 de julho de 2020 | 13h18

Isabel Coixet dirige Sarita Choudhury e Timothy Spall em seu novo projeto: “Nieva en Benidorm”

Rodrigo Fonseca
Realizadora do premiado “A Livraria” (2017) e do cult “Fatal” (2008), Isabel Coixet, cineasta catalã de 60 anos, é um dos patrimônios mais valiosos da reconfiguração audiovisual que a Espanha atravessa há duas décadas, desde o fenômeno de “Tudo Sobre Minha Mãe” e de sua vitória no Oscar de 2000. Altíssima, a bilheteria do longa-metragem mais festejado de Pedro Almodóvar fez com que seu país percebesse a urgência de se investir no cinema – anos depois, a TV entrou no bonde e, agora, o streaming – como indústria de base para a edificação da economia ibérica. Com isso, centros de estudo foram fortalecidos e fontes de fomento se encorparam, em especial nas regiões bascas. Não por acaso, Pedro e seu irmão, o ex-químico e atual produtor Agustín Almodóvar são os parceiros de Isabel em seu novo projeto, previsto pra novembro: “Nieva em Benidorm” (“It Snows in Benidorm”). A produção é da El Deseo, mesma do recente “Dor e Glória” (2019) e das demais joias almodovarianas, e se concentra na viagem do bancário inglês Peter (Timothy Spall) até uma cidade espanhola onde seu irmão refugiou-se há tempos. Mas ao chegar lá, percebe que ele desapareceu, deixando um clube noturno sem gerência. Entre as dançarinas está Alex (Sarita Choudhury), que vai roubar o coração de Peter e abrir um oceano de perigos no qual ele vai naufragar.
“A simplicidade é algo muito complexo de se retratar… e mais ainda de se alcançar, o que me leva a sempre buscar histórias de pessoas simples”, disse Coixet ao P de Pop, na Berlinale de 2019, quando concorreu ao Urso de Ouro com “Elisa y Marcela”. “Tenho um interesse recorrente nessa questão do amor entre pessoas de gerações diferentes: ele, velho; ela, jovem. Havia isso em ‘A Livraria’. Há algo assim também em ‘Fatal’. Há algo de encantador na forma sobre como corpos separados pelo Tempo se engatam e conversam entre si, pela calmaria. Gosto de ver como relações assim se desenham”.

Cena de “It Snows in Benidorm”

p.s.: No Cartoon Network, os 80 anos do Pernalonga serão comemorados com uma maratona de “Looney Tunes” e “New Looney Tunes”, em uma hora de programação, entre 24 e 27 de julho, às 16h00 e às 23h. Além disso, o desenho em longa metragem “Space Jam”, sucesso de 1996, vai ao ar na sexta-feira, 24, às 21h* e no sábado 25, às 13h*.

p.s.2: Ganhador do Grande Prêmio do Júri de Cannes há dez anos, “Homens e Deuses” (“Des Hommes et Des Dieux”, 2010), de Xavier Beauvois, integra agora o menu do Globoplay. Na trama, um grupo de monges trapistas radicado na Argélia tenta resistir às investidas de uma célula fundamentalista.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.