Fracktura em rasantes audiovisuais

Fracktura em rasantes audiovisuais

Rodrigo Fonseca

09 de novembro de 2021 | 14h31

Cena de “Gravity”, clipe da banda Fracktura pilotado por Diogo Oliveira

RODRIGO FONSECA
Dois anos depois de “Gold Spectrum”, o cineasta brasileiro Diogo Oliveira e a banda americana Fracktura, de Ohio, unem forças e estéticas, mais uma vez, para um novo videoclipe: “Gravity”, já online. Disponível no YouTube, a nova experiência narrativa do realizador de “O homem que matou John Wayne” (obrigatório .doc sobre Ruy Guerra) é um exercício visual capaz de trançar as franjas do Tempo e do Espaço numa reflexão sobre o vazio na condição humana. É algo que já se vê em cults de Guerra, como “Estorvo” (2000), mas numa abordagem com toques existenciais.
“A multidisciplinaridade sempre foi uma necessidade minha, alargando as fronteiras das linguagens artísticas para que elas se aproximem. Por esse motivo minha parceria com Fracktura, como letrista e diretor de palco e clipes, tem sido fantástica, pois estou podendo desaguar essas ideias junto com uma banda que busca também esses caminhos”, diz Diogo Oliveira, hoje envolvido os roteiros da segunda temporada da série “Memórias do Brasil”, na qual vai dirigir três episódios
No primeiro semestre do ano que vem, Diogo tem um curta-metragem para rodar: “Asa Real”. Ele ainda tem um longa pela frente: “Menino do Coração”.

Fracktura é uma banda formada em 2016, na cidade de Cincinnati (Ohio, Estados Unidos) pelos membros K. Tucker (vozes), Machado III (guitarras e baixo), e Henry C. (piano e sintetizadores). Por sua sonoridade inovadora, a banda foi rotulada pela crítica americana como “Expressionist Rock”. Capitaneado por Machado III, um músico brasileiro radicado nos Estados Unidos, o conjunto fortaleceu sua conexão com o Brasil por meio da participação de Diogo em seus projetos. As músicas do Fracktura são usadas na trilha sonora do mais recente filme de Guerra: “Aos Pedaços”, lançado em Roterdã, no ano passado, e laureado em Gramado, em 2020, com o Kikito de melhor direção.

p.s.: Lamartine Babo, João de Barro, Almirante e Carmem Miranda, entre outros expoentes da música brasileira do século 20, serão homenageados na live “Vitrolinha animada”, neste domingo, dia 14 de novembro, às 16h, numa parceria entre o Grandes Músicos para Pequenos e o projeto “Diversão em Cena”. Com direção de Diego Morais e roteiro de Pedro Henrique Lopes, o programa vai apresentar o espetáculo inédito homônimo, quadros com muita música e brincadeiras interativas para toda a família. A livezinha será exibida no Facebook (facebook.com/DiversaoEmCena) e no canal no Youtube da Fundação ArcelorMittal (www.youtube.com/FundacaoArcelorMittal). O musical “Vitrolinha Animada” começa quando os amigos e vizinhos Gabi (Analu Pimenta) e Tiago (Oscar Fabião) descobrem uma vitrola antiga da Vovó (Martina Blink). A cada disco que eles colocam na vitrola, são transportados para um universo mágico. Achando que a vitrola está com defeito, a dupla vai ter que usar a imaginação para fazer o aparelho antigo voltar a funcionar. Sucessos como “Tem gato na Tuba”, “Balancê”, “Carinhoso” e “Pirulito que bate” alegram e divertem o público a cada novo disco colocado na vitrolinha. “Mostrar as músicas de antigamente para as crianças é de extrema importância, pois faz com que nossa cultura se mantenha viva e presente em todas as gerações”, descreve Pedro Henrique Lopes. O patrocínio é da ArcelorMittal, através da Lei de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo e do Governo Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.