‘Fogo Contra Fogo’ inflama as Tribeca Talks

‘Fogo Contra Fogo’ inflama as Tribeca Talks

Rodrigo Fonseca

10 de junho de 2022 | 13h00

Cult de Michael Mann deixou Al Pacino e Robert De Niro cara a cara, nas telas, pela primeira vez

RODRIGO FONSECA
Um dos terrenos mais disputados do Festival de Tribeca, em Nova York, a seção Talks – na qual celebridades do cinema conversam sobre suas escolhas profissionais ou sobre grandes filmes – vai receber, daqui a uma semana, às vésperas do encerramento da edição nº 21 do evento, um encontro de titãs: o fundador dessa maratona audiovisual, o ator Robert De Niro, vai papear com Al Pacino sobre “Fogo Contra Fogo” (“Heat”, 1995). O diretor desse marco dos anos 1990, Michael Mann, e o produtor Art Linson estarão com eles, no dia 17, no United Palace, numa roda de debates mediada pelo jornalista e cineasta Bilge Ebiri. Orçado em US$ 60 milhões, o longa-metragem, consagrado por sequências de ação vertiginosas, marca o primeiro encontro de Pacino e De Niro EM CENA, uma vez que os dois estiveram em “O Poderoso Chefão II”, mas sem contracenarem, visto que seus personagens aparecem em épocas distintas. E 2008, eles fizeram, juntos, “As Duas Faces da Lei”, e, em 2019, “O Irlandês”.
Sob a direção de Mann, De Niro é o ladrão de carros-fortes Neil McCauley, que lidera uma gangue especializada em assaltos mirabolantes, com armamento pesado, usando máscaras de hóquei. Pacino é Vincent Hanna, um dedicado policial, cuja vida pessoal está em frangalhos, empenhado em capturar McCauley. Mas um código de honra inusitado vai nascer entre eles, no momento em que Hanna tenta ajudar sua enteada (Natalie Portman) e que Neil engata um romance com uma especialista em artes plásticas, Eady (Ay Brenneman). As perseguições rodadas por Mann marcaram época e fizeram dele um mestre autoral na filmagem de cenas de violência. Jon Voight também integra o elenco, vivendo um informante de McCauley, que dá a ele dicas dos roubos.

“El Visitante”, produção da Bolívia nas telas de NY

Uma das primeiras descobertas de Tribeca, em 2022, é “Rouding”, de Alex Thompson. Namir Smallwood tem uma atuação impecável neste thriller hospitalar com tintas sombrias no papel de um médico residente que larga sua rotina de trabalho numa metrópole e se muda para uma cidadezinha no campo, Greenville, onde terá de ajudar uma paciente asmática em meio a um trauma. Ou a algo mais assustador.
A América Latina anda bem representada lá, com filmes como “El Visitante”, de Martín Boulocq. Vem da Bolívia a saga de um ex-presidiário que sai do cárcere para refazer sua vida com sua filha, sendo obrigado a encarar o fervor religioso de um pastor evangélico que adotou a garota. Cesar Troncoso, do Uruguai, integra o elenco.
Tribeca termina no dia 18.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.