Festival MIMO oferece mais uma vez um menu de pérolas documentais

Festival MIMO oferece mais uma vez um menu de pérolas documentais

Rodrigo Fonseca

04 de novembro de 2016 | 12h28

“Gramátika”, de Paloma Rocha: invenção narrativa entre coreografia e ecos de Naná

RODRIGO FONSECA
Barulho, o Mimo (apelido bilú-teteia para Mostra Internacional de Música de Olinda) sempre fez, por seu histórico de curadorias inusitadas (avessas à obviedade) e por seu investimento transdisciplinar na celebração da cultura instrumental brasileira, fazendo do documentário uma porta de entrada para o cinema. O tempo passou, o festival se estabeleceu o maior festival de sonoridades instrumentais do país, abrindo mão da sigla gentílica em seu nome para se proclamar MIMO, em caixa alta. Agora, em 2016, o evento senta praça de 11 a 13 de novembro, no Rio, fazendo do Cine Odeon sua fortaleza, com um cardápio (marcado pelo refinamento, uma vez mais) de curtas e longas-metragens. A seleção chama atenção não apenas pela diversidade de linguagens, mas pela afirmação da autoralidade. Basta citar duas joias de seu menu: o lírico Cacaso na Corda Bamba, de José Joaquim Salles e Ph Souza, e o vulcão sensorial Gramatika, de Paloma Rocha, com ecos da percussão de Naná Vasconcelos (1944-2016).

“Cacaso na Corda Bamba”: lirismo

Ao todo, foram 145 produções inscritas, tendo sido selecionadas 25 pelo júri e dois convidados especiais. A seleção foi feita pela cineasta Rejane Zilles e pelos críticos de cinema Marcelo Janot e Juliano Gomes. Confira o pacote completo de atrações cinéfilas:

 

11 NOV (SEX)

Rio de Janeiro 18H

Local: Cine Odeon

ESSA BARRA QUE É GOSTAR DE VOCÊ

Diretor: Madiano Marcheti

Documentário | 18min | 2016 | Rio de Janeiro | Livre

Num bar de karaokê, embalado pela música brega e o barulho da cidade em obras, o encontro de Lucas e Davi, na verdade, se revela o início de um fim.

 

VIVI

Diretores: Catarina Doolan e Julio Castro

Ficção | 15min | 2016 | Natal | Livre

Em meio a tentativas frustradas de tirar a própria vida, Vivi encontra um motivo para continuar vivendo.

 

PERDIDO EM JÚPITER

Diretor: Deo

Documentário I 74 minutos I 2016 I Salvador I Livre

Filme sobre resíduos digitais da obra do músico gaúcho Flavio Basso – Júpiter Maçã. Enquanto se transmutava em diversas facetas estéticas e musicais, as câmeras o acompanhavam insistentemente. Essas imagens, sons e cores da sua carreira foram despejados aleatoriamente na internet. O documentário foi construído por capturas de tela, em um computador particular, durante pesquisas online.

 

11 NOV (SEX)

Rio de Janeiro 20H30

Local: Cine Odeon

FAZ QUE VAI

Diretora: Bárbara Wagner

Documentário | 12min | 2015 | Recife | Livre

Tomando o nome de um passo de frevo, que simula um momento de instabilidade, o curta retrata quatro bailarinos em seus modos de articular uma forma de tradição popular em questões socioeconômicas e de gênero. Como uma série de anotações sobre a relação entre corpo, câmera e movimento no registro de uma dança típica do Nordeste do Brasil, o filme comenta o sentido do carnavalesco presente em diversas estratégias de preservação do frevo

como imagem, patrimônio e produto.

 

ANTENA META FÍSICA

Diretores: Idosoidos (Vidasouvidas) e Beth Brandão

Documentário | 10 min | 2015 | Buenos Aires | Livre

O corpo é emissor e receptor de ondas estimulantes com perspectivas. Em entrevista com o grupo paulista de percussão corporal Barbatuques, a estética do filme é marcada por uma ideia de lowfi e hiperlink.

 

TIME WILL BURN – O ROCK UNDERGROUND BRASILEIRO DO COMEÇO DOS ANOS 90

Diretores: Marko Panayotis e Otavio Sousa

Documentário I 79 minutos I 2016 I São Paulo I Livre

A história quase perdida do rock alternativo brasileiro do começo dos anos 1990, com bandas que cantavam em inglês e, mesmo assim, chamaram a atenção da mídia, do público e até de ícones do grunge norte-americano. Uma cena que fez barulho num curto período de quatro anos, entre o boom do rock dos anos 1980 e o da segunda metade dos anos 1990.

 

12 NOV (SÁB)

Rio de Janeiro 16H

Local: Cine Odeon

ORQUESTRA INVISÍVEL LET’S DANCE

Diretora: Alice Riff

Documentário | 20min |2016 | São Paulo | Livre

A história de Seu Osvaldo, o primeiro DJ do Brasil.

 

SICÍLIA JASS

DiretorMichele Cinque

Documentário | 74min |2015|Itália|Livre

A trajetória de vida e o polêmico papel do italiano Nick La Rocca na história do jazz. Com a sua Original Dixieland Jazz Band, ele gravou, em 1917, o primeiro álbum de jazz de que se tem registro, “Livery stable blues”. O disco vendeu mais de 1 milhão de cópias e suas canções, de “Tiger rag” a “Clarinet marmalade”, influenciaram os maiores jazzistas – entre eles, Louis Armstrong.

 

12 NOV (SÁB)

Rio de Janeiro 18H

Local: Cine Odeon

GRAMATYKA

Diretora: Paloma Rocha

Ficção | 15min | 2015 | Brasília | Livre

O filme narra a trajetória mítica de uma mulher presa às sombras de uma caverna que, à luz do sol, se liberta na dimensão onírica e se reencontra na ancestralidade feminina.

 

SERRA DO CAXAMBU

Diretor: Márcio Brito Neto

Documentário I 16 min I 2015 I Rio de Janeiro I Livre

Poética narrativa sobre os componentes sociais, a tradição e a perpetuação da cultura negra através do caxambu (jongo), dança genuinamente brasileira de matriz africana. O curta se desenvolve através do olhar de descendentes diretos de negros escravizados, moradores do remanescente quilombo São José da Serra, o mais antigo do Estado do Rio.

 

CACASO NA CORDA BAMBA

Diretores: José Joaquim Salles e Ph Souza

Documentário I 88 minutos I 2016 I Rio de Janeiro I Livre

Filho de uma família rural, Antonio Carlos de Brito encontrou na poesia um sentido para a vida, transformando-se em Cacaso. Autor de sucessos gravados por grandes nomes da MPB, o artista multifacetado mudou a poesia brasileira, tendo sido um dos precursores do movimento de poesia marginal. Irônico e perspicaz, reuniu um grande número de artistas e intelectuais em projetos e parcerias, deixando um indiscutível legado literário e musical.

 

12 NOV (SÁB)

Rio de Janeiro 20H30

Local: Cine Odeon

FUGA

Diretor: Eduardo Roscoe

Documentário I 3 min I 2016 I Brasília I Livre

Um grande tocador de acordeão tenta fazer a sua melhor apresentação, mas é surpreendido por desafios que enfrentará durante toda a execução de sua música.

 

FILME EM FÚRIA

Diretora: Nana Maiolini

Documentário | 25min |2016 | São Paulo | Livre

Um encontro entre música, quadrinhos e cinema no contexto de produção artística independente na São Paulo das décadas de 1970 e 1980. Das performances musicais à produção da revista “Balão”, o filme trata da experimentação no trabalho de artistas como Arrigo Barnabé e Luiz Gê e do modo como a cidade, o humor e o terror estavam presentes em suas composições.

 

CHICO SCIENCE, CARANGUEJO ELÉTRICO

Diretor: José Eduardo Miglioli

Documentário I 86 minutos I 2016 I Recife I Livre

O filme refaz a trajetória do cantor e compositor Chico Science, expoente do movimento manguebeat e um dos mais importantes músicos do panorama brasileiro. Mostra a formação do grupo Chico Science & Nação Zumbi, as apresentações em turnê pelo Brasil, a criação do movimento e o legado que deixou, após a sua morte precoce no ano de 1997.

 

13 NOV (DOM)

Rio de Janeiro 16H

Local: Cine Odeon

A BATALHA DE SÃO BRÁZ

Diretor: Fernando Segtowick

Documentário | 26 min | 2016 | Belém | Livre

Mercado de São Bráz, Belém, Pará, Norte do Brasil. Durante o dia, o espaço é uma feira num prédio histórico abandonado, construído numa época de grande riqueza na cidade. Mas, nos sábados à noite, o lugar se transforma em uma das manifestações do hip hop, a batalha de MC’s. Jovens da periferia da cidade se reúnem para saber quem é o melhor MC da noite.

 

PEDRO OSMAR, PRÁ LIBERDADE QUE SE CONQUISTA

Diretores: Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques

Documentário I 76 minutos I 2016 I São Paulo I Livre

Um ensaio sobre a vida e obra do multiartista autodidata paraibano Pedro Osmar. Um manifesto poético-políticomusical sobre um dos mais brilhantes artistas brasileiros na luta pela liberdade que se conquista.

 

13 NOV (DOM)

Rio de Janeiro 18H

Local: Cine Odeon

O TROVADOR O CABRA OS MUNDOS

Diretora: Marcia Paraíso e Carla Joner

Documentário | 26min | 2015 | Rio de Janeiro | Livre

O repentista, músico, compositor, escritor e pesquisador da cultura popular brasileira, o baiano Bule Bule mergulha em suas origens e formação.

 

VINILLIS FRUTIFERIS

Diretor: Victorhugo Passabon Amorim

Ficção | 15 min | 2015 | Vargem Alta (ES) | Livre

Um jornalista vai ao interior do Espírito Santo conhecer a “Vinillis frutiferis”: uma árvore cujos frutos são discos de vinil e que precisa que os beija-flores, com seus bicos, toquem a música. Num jogo entre realidade e ficção, descobrimos histórias dos moradores que preservam essa espécie.

 

AS INCRÍVEIS ARTIMANHAS DA NUVEM CIGANA

Diretores: Claudio Lobato e Paola Vieira

Documentário I 82 minutos I 2016 I Rio de Janeiro I Livre

O tema do filme é a atuação do coletivo artístico Nuvem Cigana durante os anos 1970 no Rio de Janeiro. Através de colagens, material de arquivos e depoimentos, retrata uma geração que amadureceu sob a sombra da ditadura militar, buscando todas as formas de liberdade para desembocar na era do fim das utopias e da opressão da mídia e do mercado.

 

Mais conteúdo sobre:

Cacaso na Corda BambaGramátikaMIMO