Curta do Egito conquista a Palma de Ouro

Curta do Egito conquista a Palma de Ouro

Rodrigo Fonseca

29 de outubro de 2020 | 17h06

“I Am Afraid to Forget Your Face”, drama egípcio laureado com a Palma de Ouro

Rodrigo Fonseca
Deu Egito no pódio da disputa pela Palma de Ouro de 2020, restrita a curtas-metragens nesta edição pocket de 2020 do septuagenário evento, que não teve condições de realizar sua festa anual em maio, como esperado, por conta da Covid-19, realizando uma celebração audiovisual de forma mignon, de terça à noite desta quinta, quando encerrou seus trabalhos dedicando um minuto de silêncio às vítimas do atentado terrorista em Nice. Diante de um nervosismo generalizado na Côte d’Azur, por conta do novo confinamento da França, a começar neste fim de semana e se estender por um mês, Cannes fez o que esteve em seu alcance para manter o otimismo em alta, finalizando a festa com a vitória de um filme doído, formalmente refinado, porém protocolar na dramaturgia: “I Am Afraid to Forget Your Face”, de Sameh Alaa. Último dos onze curtas projetados ao júri – as realizadoras Claire Burger e Dea Kulumbegashvili, a atriz Céline Sallette, o realizador Rachid Bouchareb, o ator Damien Bonnard e o produtor Charles Gillibert -, o drama de Alaa acompanha os esforços do jovem Adam para se despedir de um amor de sempre passando por cima das convenções religiosas de seu povo. Após a entrega da láurea, Thierry Frémaux, o delegado geral da curadoria, anunciou que todos as/os cineastas que tiveram filmes chancelados pelo evento este ano estarão convidados a comparecer na cerimônia de abertura do festival de 2021. Na sequência, Frémaux convocou a comédia “Les 2 Alfred”, que se impõe pelas piadas hilárias acerca da nossa dependência da tecnologia e pelo carisma da atriz Sandrine Kiberlain.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: