Cronenberg inédito instiga Cannes e a ‘Cahiers…’

Cronenberg inédito instiga Cannes e a ‘Cahiers…’

Rodrigo Fonseca

11 de maio de 2022 | 12h57

RODRIGO FONSECA
Em meio ao anúncio de um novo filme de David Cronenberg, “The Shrouds”, com Vincent Cassel no papel de um empresário capaz de falar com os mortos, a indústria cinematográfica francesa capitaliza como pode a presença do longa-metragem do cineasta canadense – “Crimes Of The Future” – no 75º Festival de Cannes, que arranca na próxima terça-feira. Sem lançar longas desde “Mapas Para as Estrelas” (2014), debruçando-se sobre projetos literários, o cineasta de 79 anos regressa agora com uma trama ambientada em um amanhã não tão distante no qual cirurgias plásticas levam a raça humana a metamorfoses que vão além do corpo. Viggo Mortensen, Léa Seydoux e Kristen Stewart lideram o elenco. Essa trupe estampa a capa da “Cahiers du Cinéma” nº 787, de maio, dedicada à competição cannoise de 2022, que terá o ator Vincent Lindon como presidente do júri. O festival anunciou nesta terça que vai renovar seu projeto de conversações com celebridades, chamado “Rendez-vous Avec…”. O time reúne duas realizadoras – a italiana Alice Rohrwacher e a francesa Agnès Jaoui – e dois atores – o espanhol Javier Bardem e o dinamarquês Mads Mikkelsen. Toda essa turma foi premiada na Croisette no passado. Aproveitando essa seção de encontros, Alice vai exibir “Le Pupille” na telona cannoise. Tom Cruise também vai ter uma conversa só sua, para comentar a estreia de “Top Gun: Maverick”.

Filmes esperadíssimos da seleção competitiva de longas de Cannes, como “Decision To Leave”, do sul-coreano Park Chan-Wook; “Showing Up”, da americana Kelly Reichardt; “Tori e Lokita”, dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenn; e “Armageddon Time”, que o estadunidense James Gray dirigiu sob a produção do brasileiro Rodrigo Teixeira, passarão pelo crivo de Lindon e seu time. Os filmes serão julgados por ele, por quatro atrizes de peso – Deepika Padukone, da Índia; Noomi Rapace, da Suécia; Rebecca Hall, de Inglaterra; e Jasmine Trinca, da Itália, sendo que essas duas também são diretoras – e quatro cineastas: Asghar Farhadi (Irã); Ladj Ly (Mali – França); Jeff Nichols (EUA); e Joachim Trier (Noruega).
Falando de Cannes… esta madrugada, às 2h05, a TV Globo exibe “Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo”, que rendeu a Bennette Miller, o Prêmio de Melhor Direção no festival francês em 2014.

p.s.: O delicioso “Louco Amor” (“En Attendant Bojangles”), de Régis Roinsard, visto por 500 mil pagantes na França, à força do carisma de Virginie Efira, Romain Duris e Grégory Gadebois será exibido no Festival Varilux 2022, agendado de 21 de junho a 6 de julho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.