Céline Sciamma transborda lirismo no Telecine

Céline Sciamma transborda lirismo no Telecine

Rodrigo Fonseca

06 de outubro de 2020 | 13h50

Céline Sciamma

Rodrigo Fonseca
Dona de uma das obras mais inquietantes do cinema francês atual, em sua reflexão sobre a fluidez dos gêneros e das orientações sexuais, Céline Sciamma vai ganhar uma retrospectiva esta noite no Telecine Cult, a partir das 20h25, quando serão exibidos “Lírios D’água” (menção honrosa no Festival de Turim 2007), “Tomboy’ (ganhador do troféu Teddy na Berlinale 2011) e sua obra-prima (até aqui) “Retrato de uma Jovem em Chamas”, que brigou pelo Globo de Ouro em janeiro. Com exibição agendada para 23h30, “Portrait de la jeune fille en feu” (no original) rendeu à diretora de 41 anos o prêmio de melhor roteiro em Cannes e a Queer Palm (a láurea LGBTQ+ da Croisette). Foram reconhecimentos obrigatórios diante da excelência de dramaturgia deste ensaio sobre a sororidade. Uma pintora do século XVIII (Noémie Merlant) tem uma tarefa de retratar uma jovem nobre (Adèle Haenel) forçada pela mãe a um casamento nào desejado. Da pintura vai brotar uma paixão cúmplice. E libertadora.
“Tento escapar de convenções de representações na minha forma de escrever roteiros e discutir a força da união entre as mulheres, disse Céline ao P de Pop em Cannes, quando iniciou a preparação de seu atual projeto, “Petite Maman”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: