CCBB revisita a tradição de Hong Kong nos filmes de ação

CCBB revisita a tradição de Hong Kong nos filmes de ação

Rodrigo Fonseca

20 Abril 2018 | 15h23

“Fervura Máxima” (1992): o mestre de Hong Kong detona a representação hollywoodiana da violência

Rodrigo Fonseca
envolvido com diretores como tsui hark e ringo lam no projeto baat bou bun, longa em episódios sobre a história de Hong Kong dos anos 1940 pra cá, John Woo, um dos maiores mitos daquela região asiática nas telas, vai ter a parte mais luminosa de sua carreira revista e rediscutida na telona do CCBB-RJ numa mostra de cults de diretores e atores chineses. De 2 a 28 de maio, o Centro Cultural Banco do Brasil do Rio revê exitos de bilheteria como Alvo duplo (1986) e Fervura Máxima (1992) na retrospectiva cidade em chamas: o cinema de hong kong, organizada sob a curadoria de Filipe Furtado. Focado em variados gêneros, o festival exibirá 23 longas-metragens, do auge do sucesso da produtora Shaw Brothers, nos anos 60/70, passando pelo cinema novo de Hong Kong do começo dos anos 1980. o evento aborda ainda projetos produzidos até 1997, quando a colônia foi devolvida à china, e a presença de Hollywood na região passou a ser mais forte, deflagrando a decadência da produção. entre os filmes imperdíveis, destaca-se Projeto China (1983), de Jackie Chan, e O Grande Mestre Beberrão (1966), de King Hu.