‘Capharnaüm’ e ‘BlackKklansman’ ganham o prêmio do Júri Ecumênico de Cannes; ‘Burning’ é o eleito da Fipresci

‘Capharnaüm’ e ‘BlackKklansman’ ganham o prêmio do Júri Ecumênico de Cannes; ‘Burning’ é o eleito da Fipresci

Rodrigo Fonseca

19 Maio 2018 | 12h13

Rodrigo Fonseca
Coreia do Sul, Líbano e EUA foram os países contemplados pelos premiações paralelas de Cannes – relativas aos concorrentes à Palma de Ouro – entregues neste sábado de encerramento do festival, pela Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica (Fipresci) e pelo Júri Ecumênico.
Os críticos coroaram Lee Chang-Dong e seu (morno) Burning, que aborda a relação entre três jovens cindida por um fetiche piromaníaco de um deles. Ainda sobrou láureas da Fipresci para o ótimo Girl, de Lukas Dhont (Un Certain Regard) e Un Jour, de Zsofia Szilàgyi (Semana da Crítica).

‘Burning’, da Coreia do Sul

Já no Júri Ecumênico, o resultado, bem mais acertado, abeençou os dois melhores competidores de 2018: a libanesa Nadine Labaki levou o troféu deles por Capharnaüm e o americano Spike Lee conquistou menção honrosa por BlackKklansman.