Até Marx vai comemorar os 10 anos do Estação Gávea

Até Marx vai comemorar os 10 anos do Estação Gávea

Rodrigo Fonseca

25 Dezembro 2017 | 10h53

Rodrigo Fonseca
Criado em 2007, em um esforço hercúleo do Grupo Estação para ampliar o parque cinéfilo dos cariocas, o multiplex do Shopping da Gávea vai comemorar seus dez anos nesta quarta, dia 27 de dezembro, com um pacotão de filmes classe A em pré-estreia. As cinco salas do complexo Estação NET Gávea vão se tornar um Jardim das Delícias, com projeções de Roda Gigante, o novo Woody Allen; do vencedor da Palma de Ouro de 2017 The Square – A Arte da Discórdia, de Ruben Östlund; do argentino Zama, de Lucrecia Martel; de Sem Fôlego, de Todd Haynes, com um desempenho primoroso da atriz Julianne Moore; do documentário ganhador do L’Oleil d’Or de Cannes em maio Visages Villages, de Agnes Varda e JR; do drama alemão Lou (Lou Andreas-Salomé), de Cordula Kablitz-Post; do genial O Jovem Karl Marx, de Raoul Peck; da love story Me Chame Pelo Seu Nome, de Luca Guadagnino (indicado a três Globos de Ouro); do filme-peiquete francês 120 Batimentos Por Minuto (vencedor do Grande Prêmio do Júri na Croisette); e do sucesso de bilheteria O Destino de uma Nação, de Joe Wright, que faz de Gary Oldman o mais forte candidato ao Oscar de Melhor Ator. Parabéns pro Estação. A fartura de ofertas cinematográficas é tanta que fica difícil fazer uma escolha, mas a leitura do haitiano Peck para os anos de juventude do autor de O Capital é uma atração obrigatória para a compreensão da desumanidade que cerca nossa falência econômica atual.