Animação sobre guerreiro oriental desponta na trilha do Oscar

Animação sobre guerreiro oriental desponta na trilha do Oscar

Rodrigo Fonseca

18 de agosto de 2016 | 14h45

“Kubo e a Espada Mágica”: 13 de outubro em cartaz no Brasil

RODRIGO FONSECA
Aclamado pelos principais órgãos de imprensa especializado em cinema dos EUA e da Inglaterra, Kubo e a Espada Mágica, uma aventura em stop-motion dirigida por Travis Knight (produtor de Os BoxTrolls e ParaNorman), desponta neste momento como “a” animação da vez na indústria americana quando o assunto são os possíveis candidatos ao Oscar. Construído como uma mistura de filme de bonecos com computação gráfica, o longa-metragem estreia aqui no dia 13 de outubro centrado nas aventuras de um jovem oriental que preciosa localizar uma armadura mágica a fim de deter os espíritos maus que assombram sua vila, fazendo justiça ao legado de seu pai, um samurai. Ecos de Coraline potencializam o apelo popular da produção, que terá pela frente, entre os especialistas da linguagem animada, pelo menos dois concorrentes de peso este ano: The Red Turtle, do holandês Michael Dudok de Wit, premiado em Cannes e já incluído na seleta de 2016 do Anima Mundi (24 a 30 de outubro no RJ; 2 a 6 de novembro em SP) e Ma Vie de Courgette, do suíço Claude Barras, laureado no Fesival de Annecy, na França. Não se pode subestimar ainda o poder de fogo de Procurando Dory, maior bilheteria do ano nos EUA, com uma arrecadação – lá – estimada em US$ 477 milhões (em escopo mundial, seu faturamento beira US$ 900 milhões). Esta jornada aquática da Disney mostra uma Pixar no melhor de si.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.