Anima Mundi promete filés para seu menu 2016, como ‘The Red Turtle’

Anima Mundi promete filés para seu menu 2016, como ‘The Red Turtle’

Rodrigo Fonseca

18 de agosto de 2016 | 00h50

"The Red Turtle": prêmio em Cannes

“The Red Turtle”: prêmio em Cannes

RODRIGO FONSECA

Embora rodeada pelos mesmos perrengues de captação enfrentados pelos maiores festivais do país neste 2016 de crise e de vacas magras, o Anima Mundi vai colocar seu bloco na rua uma vez mais, garantindo uma festa coalhada de atrações estrangeiras classe A, como, por exemplo, o premiado The Red Turtle, de Michael Dudok de Wit. Ainda que a direção do evento não tenha se pronunciado oficialmente sobre quem virá como convidado, só faz crescer a boataria acerca da possível vinda deste animador holandês ao país, como estrela maior da maratona animada. No Rio de Janeiro, ela vai de 24 a 30 de outubro, mobilizando o Centro da Cidade Maravilhosa (via Cine Odeon, Cinemateca do Museu de Arte Moderna – MAM, Centro Cultural Justiça Federal, Livraria Cultura e Auditório do BNDES), já em São Paulo, a festa vai de 2 a 6 de novembro, na Cinemateca Brasileira e no Cine Belas Artes. Dudok de Wit ganhou o prêmio do júri da seção Un Certain Regard do Festival de Cannes deste ano por este desenho animado ecológica sobre os desafios de um náufrago às voltas com um quelônio tamanho GG. Mas tem outras delícias num cardápio que traz a anarquia de O Último Engolervilha 2, com uma turba de diretores sob os bons augúrios de Marão, o Miyazaki de Nilópolis. Além dele, outra promessa do nosso país na seara animada regressa às telonas: Carlos Eduardo Nogueira, do mítico Yansan (2006), volta com Mobios. E o mestre baiano Chico Liberato (O Boi Aruá) vai projetar Amarilis.

"Estilhaços", de Portugal

“Estilhaços”, de Portugal

Tem ainda Simon Acosta, da Colômbia, com Mitu; o sempre brilhante patrício José Miguel Ribeiro, de Portugal, com Estilhaços; a americana Evelyn Ross, com Adam; e Walter Tournier, do Uruguai, com Chatarra. Na bandeja de longas-metragen, o Anima Mundi não descolou brasileiros (ainda), mas aposta numa carga de diversidade de nações rara mesmo em sua história. Serão projetados Battledream Chronicle, da Martinica; Bad Cat, da Turquia; Sabogal, da Colômbia; Murderous Tales, da República Tcheca; e Psiconauts, Los Niños Olvidados, da Espanha.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.