A carioca Alice Furtado e a RT Features levam o Brasil à Quinzena de Cannes

A carioca Alice Furtado e a RT Features levam o Brasil à Quinzena de Cannes

Rodrigo Fonseca

23 de abril de 2019 | 07h35

“Sem seu sangue”, de Alice Furtado, com Luiza Kosovski e Lourenço Mutarelli: Quinzena dos Realizadores – Foto de @Felipe Quintelas

Rodrigo Fonseca
Cannes
reservou mais uma alegria para o Brasil na 72ª edição de seu festival anual, agendado este ano de 14 a 25 de maio: “Sem seu sangue”, da estreante carioca Alice Furtado, diretora egressa da Universidade Federal Fluminense (UFF), vai integrar a seleção da Quinzena dos Realizadores ao lado de medalhões como Laurie Anderson, Bertrand Bonello e Takashi Miike. Vai ter DNA nacional também no esperadíssimo “The lighthouse”, novo trabalho do festejado cineasta dos EUA Robert Eggers, de “A bruxa” (2015): seu produtor é Rodrigo Teixeira, da RT Features, um Midas que vem emplacando um sucesso atrás do outro lá fora, como “Me chame pelo seu nome” (2017). O anúncio foi feito esta manhã, em solo francês, com transmissão online ao vivo, pelo diretor artístico da Quinzaine Des Réalisateurs, Paolo Moretti, cinco dias depois de o menu da Palma de Ouro e a da mostra Un Certain Regard ter sido anunciado por Thierry Frémaux, o curador mor do evento, incluindo o cinema brasileiro lá em diferentes frentes. Na competição entraram Bacurau, de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça, e o thriller de máfia Itália-São Paulo “Il traditore” (“O traidor”), de Marco Bellocchio. Já a vitrine Um Certo Olhar vai contar com “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz, também produzido pela RT. Como atração de abertura, a Quinzena exibe “Deerskin”, de Quentin Dupieux, no qual Jean Dujardin interpreta um sujeito obcecado em produzir uma roupa impecavelmente perfeita. Já o longa de encerramento vai ser a comédia “Yves”, de Benôit Forgeard.

“The lighthouse”: mistério e autoralidade com a grife Robert Eggers

Diretora do belo curta “Duelo antes da noite” (2011), Alice narra em “Sem seu sangue” os conflitos da adolescente Silvia (Luiza Kosovsli), que encontra em Artur (Juan Paiva), um jovem hemofílico expulso de várias escolas, um analgésico para seu vazio existencial. Maior quadrinista do país, o escritor Lourenço Mutarelli (de “O cheiro do ralo”) integra o elenco. Já o projeto de Eggers para a RT conta a saga de um veterano faroleiro e seus demônios internos. Willem Dafoe e Robert Pattinson são os protagonistas. Parceiro de Teixeira em mais de um filme, o italiano Luca Guadagnino, em cartaz no Brasil com “Suspiria”, leva a Cannes um média-metragem, com Julianne Moore no elenco: “The satggering”. Já o mexicano Robert Rodriguez vai apresentar uma masterclass e exibir o thriller de horror “Red 11”, com Carlos Gallardo.

A Quinzena vai de 15 a 25 de novembro e terá o diretor John Carpenter (de cults como “Halloween”) como seu homenageado do ano, a ser contemplado com o troféu honorário Carroça de Ouro. A já citada multiartista Laurie Anderson participa do festival com uma instalação em realidade virtual criada em parceria com Hsin-Chien Huang: “Go where you look! Falling off snow mountain”.

A lista de atrações:

“Alice et la mer”, de Nicolas Parisier (França)
“And then We danced”, de Levan Akin (Geórgia)
“The halt”, de Lav Diaz (Filipinas)
“Deerskin”, de Quentin Dupieux (França) Filme de abertura
“Dogs don’t wear pants”, de Jukka-Pekka Valkelpää (Finlândia)
“Canción sin nombre”, de Melina León (Peru)
“Ghost tropic”, de Bas Devos (Bélgica)
“Give me liberty”, de Kirill Mikhanovsky (EUA)
“First love”, de Takashi Miike (Japão)
“The Lighthouse”, de Robert Eggers (EUA)
“Lilian”, de Andreas Howath (Áustria)
“Oleg”, de Juris Kursietis (Letônia)
“On va tout péter”, de Lech Kowalski (França)
“The orphanage”, de Shahrbanoo Sadat (Dinamarca)
“Les particules”, de Blaise Harrison (Suíça)
“Por el dinero”, de Alejo Moguillanski (Argentina)
“Perdrix”, de Erwin Le Duc (França)
“Sem seu sangue”, de Alice Furtado (Brasil)
“Tlamess”, de Ala Edding Slim (Tunísia)
“To live to sing”, de Johnny Ma (China)
“Une vie facile”, de Rebecca Zlotowski (França)
“Wounds”, de Babak Anvari (EUA)
“Zombi child”, de Bertrand Bonello (França)
“Yves”, de Benôit Forgeard (França) Filme de encerramento
________________________________________________
Sessões especiais de
“Red 11”, de Robert Rodriguez (EUA)
“The Staggering”, de Luca Guadagnino (Itália)

 

Tendências: