RENAISSANCE: Beyoncé faz convite irrecusável para a sua pista de dança
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

RENAISSANCE: Beyoncé faz convite irrecusável para a sua pista de dança

Murilo Busolin Rodrigues

29 de julho de 2022 | 23h07

Poucos artistas possuem o poder de parar o mundo com todos os seus lançamentos. Os que conseguem por décadas diferentes entram para o hall dos mais admirados da história da cultura pop e podem ser chamados de lendas.

Não é novidade para ninguém que Beyoncé está nesse ilustríssimo pódio há um bom tempo.

Mais de seis anos após o lançamento do seu último disco de estúdio, o consagrado LEMONADE, Queen B está de volta com RENAISSANCE, seu sétimo projeto solo e o primeiro de uma trilogia que deve ser lançada por completo até o fim deste ano.

E adivinha? Ela conseguiu se superar novamente. Beyoncé nunca esteve tão ousada, feroz, divertida e… gay.

Os temas político-sociais e a máxima vulnerabilidade que marcaram as canções de Beyoncé nos últimos anos, deram espaço para 16 faixas que fazem ode a uma pista de dança irrecusável.

‘RENAISSANCE’ já atingiu o topo do Itunes da Apple Music de mais de 100 países. FOTO: Reprodução

Segundo comunicado da artista, ela dedicou os anos de pandemia para se libertar do conhecido perfeccionismo que acompanha o seu trabalho, deixando a criatividade fluir em potência máxima para se divertir criando um disco que também traria diversão ao público.

Mas é house? É música eletrônica? É música de boate?  Miami bass? Como de costume, Beyoncé estendeu os limites da música pop e fez uma releitura de toda a cultura ballroom dos anos 70, 80 e 90, aliada às produções contemporâneas, e nos entregou um set de DJ primoroso do começo ao fim.

Todas as músicas se completam com transições espetaculares. De I’M THAT GIRL a SUMMER RENAISSANCE, a pista de dança está liberada para quem deseja se desvirtuar do caótico mundo que nos assombra lá fora.

A compositora coloca de volta a coroa das pistas nos artistas negros, celebrando quem, de fato, moldou e popularizou o estilo musical.

Além do sample de Show Me Love (1993) de Robin. S, no explosivo single BREAK MY SOUL, Beyoncé fez com que a já ‘super’ utilizada em hits disco, I Feel Love (Donna Summer) ganhasse uma nova e irresistível roupagem em SUMMER RENAISSANCE, que encerra o disco e te deixa na vontade de mais 16 faixas.

Um dos –muitos- pontos altos do RENAISSANCEVIRGO’S GROOVE, é uma clara homenagem ao trabalho de Prince. Cá entre nós, uma canção, em pleno 2022, na era dos hits curtos do TikTok, que consegue crescer ao longo de sua duração e atinge o ápice em mais de seis minutos? Eu chamaria de desbunde sonoro.

O afrobeat é sentido na flor da pele em HEATED e em MOVE, com participação de Grace Jones. ALIEN SUPERSTAR é uma das mais criativas do álbum – dá pra imaginar o quanto Beyoncé se divertiu criando esse pop futurista interpolado com o clássico dos anos 90 I’m Too Sexyde Right Said Fred.

CUFF IT é uma música extremamente chique. Quase que me senti na obrigação de preparar um Aperol Spritz para ouvi-la até o fim. E, talvez, não exista nada mais Beyoncé no novo projeto do que PURE | HONEY, um r&b classudo e extremamente pop, marcado pelos vocais puros da texana.

RENAISSANCE quebra o padrão dos mais recentes lançamentos da norte-americana e chegou nas plataformas de streaming sem nenhum visual, nem ao menos um videoclipe.

Segundo produtores envolvidos no projeto, como The-Dream, e o próprio site da gravadora Parkwood Entertainment/Columbia Records/Sony Music Entertainment, o conteúdo visual foi postergado e vai ganhar uma data de lançamento, sendo esse o momento para desfrutarmos da danceteria que nos foi apresentada nesta sexta, 29 de julho de 2022.

RENAISSANCE é a celebração de Beyoncé sobre todas as suas referências do passado, todas que moldaram os seus projetos anteriores e a consagraram como a maior artista viva dos últimos tempos.

Eu não tenho hora para ir embora dessa festa. E vocês?

Um filme de ‘RENAISSANCE’ é esperado nas próximas semanas. Beyoncé tem contrato com a Netflix para mais produções além do ‘HOMECOMING’ (2019), vem aí? FOTO: Reprodução

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.