Os melhores do BBB 21
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os melhores do BBB 21

Murilo Busolin Rodrigues

11 de abril de 2021 | 12h33

Um professor de geografia mineiro sem papas na língua, uma influenciadora digital carioca e dona de posicionamentos impecáveis, uma maquiadora paraibana destemida e aspirante à delegada e um economista pernambucano com o carisma do tamanho do Brasil.

Os melhores competidores do Big Brother Brasil 2021. Reprodução: TV Globo.

Com notória vantagem, esses são os quatro melhores participantes do top 10 do Big Brother Brasil 21. João Luiz, Camilla de Lucas, Juliette Freire e Gilberto Nogueira se destacam entre outros, que fazem hora extra no reality – com exceção da youtuber Viih Tube, que chama atenção pelo sorrateiro jogo, mas peca pelo encanto limitado, equivalente a uma protagonista de filme da Sessão da Tarde.

Faltando menos de 30 dias para o fim do programa, posso afirmar que a escolha do elenco mirou em repetir o sucesso do BBB 20 e só não falhou por completo pela participação dos quatro candidatos citados. Me desculpe, Boninho.

O jogo de João Luiz foi tímido por semanas, mas nunca deixou de ser coeso. O professor sempre se posicionou, não pensou duas vezes quando foi necessário apontar erros e manteve sua amizade com Camilla como seu principal pilar.

João foi vítima de comentários racistas – feitos pelo já eliminado Rodolffo – e não segurou a emoção ao escancarar o ocorrido durante uma dinâmica ao vivo. FOTO: Reprodução/TV Globo

Ganhando destaque semana após semana, João foi vítima de comentários racistas – feitos pelo já eliminado Rodolffo – e não segurou a emoção ao escancarar o ocorrido durante uma dinâmica ao vivo.

Sem precisar partir para ofensas em sua defesa, ele apenas pontuou e foi apoiado por todos. O episódio resultou em uma das noites mais históricas da televisão brasileira.

Em uma atitude de correção necessária, o apresentador Tiago Leifert interrompeu os jogadores durante o bloco de maior audiência para fazer um discurso enaltecendo o significado do cabelo black power, em resposta ao sertanejo.

“Historicamente, o cabelo do João foi associado a uma coisa errada, suja, feia. E é por isso que quando a gente faz um comentário sobre o cabelo do João não é sobre um penteado como você achou que tinha feito ou como você encararia isso. Você está falando de um símbolo, você tá falando do que o João é, do que ele sente, da história dele, da ancestralidade do João.”

Dos meus quatro escolhidos, João talvez seja o real merecedor do prêmio e, sendo um professor, acabou proporcionando indiretamente, mais uma aula para milhões de brasileiros.

Uma aula que tocou profundamente na minha próxima escolha como finalista.

Visivelmente emocionada e trêmula, Camilla de Lucas agradeceu Tiago e engrandeceu o recado utilizando a sua vivência.

“Eu escuto esses termos, essas comparações desde 1994, quando nasci, então hoje eu já me coloco na posição de ‘não aguento mais’. E, se as pessoas dizem que é mimimi, se é cansativo para vocês ouvirem, é cansativo para eu viver. Pesquisem, a internet está aí.”

A criadora de conteúdo é exatamente tudo o que se propõe em seus vídeos de sucesso na internet: carismática, divertida e autêntica.

Defende quem sempre defendeu desde o início, não precisou de picuinhas para ganhar holofote e sempre se destacou por seus discursos altamente centrados e equilibrados. Já quero o contato dessa terapeuta.

O carinho do grande público com Camilla de Lucas vem crescendo nas últimas semanas. Teremos mais uma vencedora no reality desse ano? FOTO: Reprodução/TV Globo

Camilla é de Nova Iguaçu (RJ), tem origem simples e conseguiu mudar de vida nos últimos dois anos por meio do seu trabalho nas redes sociais. A sua vitória seria justa e surpreendente.

Sua trajetória crescente se assemelha – e muito – à da última campeã, Thelma.

O favoritismo da médica também foi crescendo somente nas últimas semanas de jogo.

Gil do Vigor é a alma do reality. Fez parte das principais narrativas dessa edição e como o próprio gosta de categorizar, fez “cachorrada atrás de cachorrada”. Gerou bordões, foi líder, anjo, monstro, favorito, cancelado, descancelado, chorou, fez a gente chorar, brigou, dançou e brilhou, e como brilhou.

Afirmou, com sorriso de orelha a orelha, que estava realizando o sonho de sua vida ao participar do BBB ‘sendo a bicha que sempre quis ser’.

Gil teve uma infância difícil, tentou a carreira de modelo para que sua família não passasse fome e também para tentar ganhar a atenção do pai, que o rejeitou desde pequeno.

Ele nem imagina, mas fora da casa o economista já foi aceito em 5 PhDs em universidades estrangeiras e acumula mais de 8 milhões de seguidores.

Uma das únicas competidoras que tem uma base de fãs forte o suficiente para eliminá-lo é sua amiga, quase que ex-inimiga, Juliette.

Pra quem se sustentava com o auxílio emergencial antes de entrar no programa, a nordestina se tornou um dos perfis no Instagram com o maior engajamento do mundo.

Juliette caminha para ser a participante do BBB mais seguida no Instagram, de todos as edições. FOTO: Reprodução/TV Globo

A reviravolta na vida da falante advogada é ainda maior que a de Gil. Para alcançar o seu objetivo em ser delegada, Juliette se tornou maquiadora profissional como forma de sustento, mas tudo foi por água abaixo por conta da pandemia.

Na casa, em busca de uma aceitação social nos inúmeros grupos formados, a nordestina dividiu e continua dividindo opiniões e julgamentos ao expressar todos os seus sentimentos com a mais pura sinceridade.

A falta de compreensão dos participantes com seu jeito inquieto e até uma sucessão de piadinhas sobre sua personalidade, para não dizer xenofobia com seu sotaque, fez com que o grande público criasse uma conexão gigantesca com Juliette.

O elo é tão grande, que arrisco em dizer que, atualmente, o prêmio está fincado em suas mãos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.