Olivia Rodrigo, a it girl ‘comum’ de 2021
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Olivia Rodrigo, a it girl ‘comum’ de 2021

Murilo Busolin Rodrigues

22 de maio de 2021 | 22h00

Há quase 5 meses, eu publiquei neste mesmo espaço a introdução para uma das grandes apostas musicais deste ano e finalizei com a previsão: ‘Aposto que até o final de 2021 ninguém mais vai se perguntar quem é Olivia Rodrigo’.

Errei por um singelo detalhe: não precisamos de um ano completo para ter a certeza que Olivia é a it girl deste – bizarro – ano.

A estratégia da sua equipe para que a cantora fosse o nome do momento foi certeira. O single driver’s license, lançado em janeiro, teve a maior estreia semanal da história do Spotify, bateu inúmeros recordes pelo mundo e acumulou oito semanas em #1 na Billboard.

O holofote estava 100% sobre a novata e ela precisava manter aquecido o sucesso criado através da sua linha tênue entre uma garota extremamente comum, mas surpreendentemente interessante. E conseguiu.

“Mas o que Olivia Rodrigo tem de tão especial?’ é a grande pergunta nas redes sociais. Ela é honesta e faz músicas que refletem a normalidade de uma adolescente de 18 anos, sem super produção, com boas referências. Frescor musical. FOTO: Instagram/ @oliviarodrigo

Em abril, deja vu foi lançada como segundo single do seu primeiro álbum SOUR. Com uma roupagem muito mais pop do que driver’s, os versos mostraram que Olivia nasceu para escrever sacadas criativas em suas letras pra lá de íntimas.

Com o segundo hit em mãos, Rodrigo se tornou a única artista da história a emplacar as duas primeiras músicas diretamente no top 10 da parada mais relevante do mundo.

Confesso que até esse ponto, apesar de ter gostado dos lançamentos, ainda não estava convencido de tamanho hype envolvendo seu nome, mas o jogo mudou rapidamente.

Posso dizer que foi a semana em que ocorreu a virada de chave na promissora carreira da artista: a pop punk good 4 u foi lançada dias antes do aguardado disco e o nível das expectativas, mais uma vez, subiu.

Com uma pegada absurdamente alternativa, nostálgica e jovial, Olivia trouxe de volta aquilo que a gente mais sentia falta e não sabia: uma música divertida, não genérica e com letra descompromissada.

Eu falo de uma fórmula simples, semelhante ao sentimento que Avril Lavigne proporcionou com seu debute Let Go (2002). Músicas que envelhecem como vinho nos karaokês da vida.

SOUR foi lançado no mundo todo na última sexta, 21e é praticamente impossível, ao menos duas ou três canções do álbum não serem adicionadas em sua playlist, cedo ou tarde.

Falando bem ou mal, vai ser difícil não querer experimentar – e talvez repetir as faixas do ‘SOUR’. Foto: Divulgalção/Universal

Todas as 11 faixas foram escritas por Olivia e produzidas por Dan Nigro. O pop punk abre o álbum com brutal, uma das melhores do catálogo, que foi claramente inspirado por Alanis Morissette e Lorde.

I’m so sick of seventeen, where’ s my fuckin’ teenage dream?, desabafa Rodrigo na impactante faixa.

O disco é recheado de um pop moderno e perfeitamente polido para os dias atuais, mas o charme é a pincelada irônica que a cantora insere em cada faixa. Meus destaques nas primeiras ouvidas: happier, deja vu, brutal e enough for you.

Olivia confessa ser ciumenta, um pouco egoísta, muito sentimental, perdidamente furiosa e é claro, apaixonada. São as reações naturais do seu enfrentamento com as angústias de uma traição e de sua busca por uma autoestima equilibrada.

A americana com descendência filipina tem apenas 18 anos e conseguiu moldar uma atmosfera irresistível sobre o seu trabalho. Apesar do nome ‘azedo’ ilustrar a sua primeira obra, é difícil não querer experimentar – e talvez repetir – essa sobremesa musical.

CONECTE-SE

Gosta dos meus textos por aqui? Nesta segunda, 24 de maio, estendo minhas análises sobre os assuntos mais quentes da cultura pop na estreia do quadro ‘Furou a bolha’, na Rádio Eldorado (107.3 FM).

Sabe aquele nome desconhecido que você ouve falar em diversos lugares, mas ainda não tem ideia de quem seja? Aquele assunto que está nos trending topics, mas você só sabe metade da história?

Ao lado dos apresentadores Emanuel Bonfim e Leandro Cacossi, farei a imersão exata sobre o que está movimentando a internet. Às segundas, a partir de 18h35. Dá para ouvir pelo site https://bit.ly/3uqvRwF

‘Furou a bolha” é sobre quem se destacou e virou assunto em todas as redes sociais, furou ou está furando a bolha para um alto nível de popularidade.

Tudo o que sabemos sobre:

olivia rodrigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.