Grammy para quem?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Grammy para quem?

Murilo Busolin Rodrigues

28 de novembro de 2020 | 23h00

A falta de indicações nos maiores prêmios do entretenimento para artistas que se destacaram durante um ano não é nenhuma novidade. Não é motivo para se espantar, mas, em alguns casos, acaba espantando.

Existe algum motivo plausível para ‘Blinding Lights’ não concorrer em nenhuma categoria do Grammy? FOTO: Reprodução/Youtube

O multitalentoso cantor The Weeknd lançou seu quarto álbum de estúdio, After Hours, em março. O disco é o segundo mais reproduzido nas plataformas de streaming em 2020 – para se ter uma noção de sua grandeza, só no Spotify o compilado se aproxima da marca de 4 bilhões de reproduções.

A segunda música de trabalho do projeto, Blinding Lights, é recordista na principal parada musical do mundo, a Billboard Hot 100. É a canção que mais acumula semanas consecutivas no top 10 da parada, se mantendo, até o fechamento desta coluna, com 41.

Ela se tornou um clássico instantâneo do pop, como Shape Of You, de Ed Sheeran, Uptown Funk, de Mark Ronson e Bruno Mars, e Believe, da Cher. O famoso hit que todo mundo conhece.

Claro que sucesso não é sinônimo de qualidade, e muito menos o único mérito em qualquer tipo de premiação. Mas o álbum After Hours figurava em todas (!) as listas especializadas para abocanhar as principais nomeações do Grammy’s 2021. A nota avaliada pela crítica especializada é de 80 (aclamação universal) e o estilo psicodélico-oitentista do trabalho de Abel (nome de batismo de The Weeknd) não só fez um enorme sucesso, como influenciou outros grandes lançamentos que o sucederam, como o estrondoso Future Nostalgia, da britânica Dua Lipa, além de Miley Cyrus com seu recém-lançado glamrock 80’s, Plastic Hearts.

No fim das contas, The Weeknd não levou uma  indicação ao Grammy e os internautas e fãs do cantor não deixaram barato – nem o próprio artista, que se pronunciou algumas vezes em suas redes sociais. O cantor chamou a premiação de corrupta e exigiu “transparência a ele, aos seus fãs e à indústria”.

The Grammys remain corrupt. You owe me, my fans and the industry transparency…

— The Weeknd (@theweeknd) November 25, 2020

O presidente interino da Academia de Gravação, Harvey Mason Jr., rebateu e desmentiu o boato de que o cantor foi esnobado em indicações por ter aceitado ser a estrela do show de intervalo do próximo SuperBowl –   palco supremo em que um artista consagrado pode se apresentar. Rivalidade de audiência e exclusividade? Talvez.

Mas sabe o que mais chamou a atenção desse drama todo? As acusações de racismo já surgiram, já que os singles de After Hours seriam indicados nas categorias R&B. E nem nessas foram. Mesmo que sejam produções 100% pop, a associação de artista negro/ indicação em categoria R&B recorrente.

E quem é a artista com mais indicações na já polêmica futura edição do Grammy? Beyoncé.

Em outras edições, a artista mais indicada da história do prêmio (79 vezes) também concorria às principais, mas sempre perdeu para artistas brancos. Se ela foi utilizada como mecanismo de defesa ou não, só vamos descobrir nos próximos capítulos dessa longa e cansativa história

 

Será que Beyoncé repete uma foto como essa em janeiro de 2021? FOTO: Grammy’s 2010/Reprodução

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.