Eu tô no ClubHouse e você?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Eu tô no ClubHouse e você?

Murilo Busolin Rodrigues

13 de fevereiro de 2021 | 21h00

Para o terror dos que odeiam receber áudios de WhatsApp como meio de comunicação (não é o meu caso), a mais nova rede social a cair no gosto do público é baseada exatamente nisso, intermináveis áudios.

ClubHouse é o app do momento, mas você tem paciência para mais uma rede social? FOTO: Divulgação/ClubHouse

O ClubHouse foi lançado em abril de 2020, mas a popularidade explodiu agora, após bate-papo entre o empreendedor bilionário Elon Musk e o presidente executivo da RobinHood, aplicativo de negociações de ações, em 31 de janeiro. Foram registrados mais de 6 milhões de cadastros no ClubHouse após a rica interação… dos ricos.

No Brasil, o boom se deu após uma sala criada por Boninho, diretor responsável pelo Big Brother Brasil, para comentar sobre os participantes e dar dicas sobre o programa.

O principal objetivo da rede é promover conversas de áudio em salas, como se fossem podcasts ao vivo, com mais interação e menos limites. Me cadastrei no domingo, e tive a sensação de estar sentado no sofá com globais e influenciadores trocando informações e experiências sem filtro.

Em uma delas, sobre política e BBB, enquanto o apresentador e possível presidenciável Luciano Huck debatia sobre a nova rede, com Anitta e Manuela d’Ávila, Paula Lavigne pôs ninguém menos que seu marido, Caetano Veloso, para dar um ‘oi’.

Após uma semana, arrisco dizer que o aplicativo não deve ser uma modinha. O Twitter já antecipou uma função de grupo com áudios, a Space, mas só como teste na última semana. Uma tendência como foi com os Stories?

No ClubHouse, no grupo Café com Marketing (às 8h), nomes de empresas como MC Donald’s e Natura compartilham conhecimentos e histórias a que você não teria acesso de uma maneira tão fácil.

Por volta das 21h, uma inesperada sala surge com nomes como Kéfera, Lexa e Rafael Portugal, comentando abertamente sobre a postura para lá de questionável de Karol Conká no BBB. O melhor dos dois mundos.

Vai dizer que não está participando de nenhum grupo de fofoca sobre BBB? FOTO: Print/Reprodução Club House

Vai se aventurar pelo app? @kaique – broadcaster, promove as salas mais organizadas e cheias de influenciadores, para discutir BBB e entretenimento; @tievasconcelos – colunista do jornal Voz das Comunidades, organiza discussões sobre assuntos necessários do cotidiano; e @rosana – escritora e roteirista, inicia todas as manhãs lendo e discutindo as principais notícias do Estadão, além de moderar a Lugar de Sala.

É bom lembrar que o aplicativo está disponível só para o sistema iOS, por meio de convites. Cada usuário registrado recebe apenas dois para repassar e outros posteriormente, se participar de salas como um ‘speaker’.

Faltou convite? Baixe o ClubHouse, crie um perfil e um amigo seu que já está ativo na rede vai te botar para dentro. Boa diversão e não corte a fala de ninguém, por favor.

Não espere um convite para entrar na nova plataforma: baixe o app, faça um perfil e peça para que algum amigo ativo te coloque ‘para dentro’. FOTO: Reprodução / ClubHouse

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.