Deu Brasil no Emmy
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Deu Brasil no Emmy

Murilo Busolin Rodrigues

26 de setembro de 2020 | 20h00

No último domingo (20), o Emmy, principal prêmio da TV americana, surpreendeu positivamente premiando Zendaya, de 24 anos, como melhor atriz de drama por seu papel como a problemática Rue, em Euphoria (HBO). Agora, ela é a mais jovem e apenas a segunda negra da história – ao lado de ninguém menos que Viola Davis – a levar a cobiçada estatueta da premiação.

Continuando com as boas surpresas, nesta mesma semana, a Academia Internacional de Artes e Ciências da Televisão liberou a lista completa de indicados à versão mundial do prêmio, o Emmy Internacional 2020. Sim, temos muitos brasileiros entre os principais concorrentes. Seria cômico se não fosse trágico, diante de tamanho reconhecimento, já que nossa cultura vem sendo extremamente desvalorizada.

Entre os destaques está Andrea Beltrão, indicada ao prêmio de Melhor Atriz por sua brilhante atuação na minissérie Hebe. A produção original da Globoplay conta a história da apresentadora mais famosa da televisão brasileira em 10 grandiosos capítulos. Imperdível.

‘Hebe’ conta a história da apresentadora mais famosa televisão brasileira. FOTO: Divulgação/Globoplay

Mais um triunfo da plataforma de streaming da Rede Globo, a minissérie Elis – Viver é Melhor Que Sonhar, está entre as finalistas para Melhor Filme para TV ou Minissérie. O trabalho conta a história da insubstituível cantora Elis Regina, interpretada por Andreia Horta.

No terceiro gol da Globoplay no Emmy Internacional 2020, a segunda temporada da série Impuros se destaca com a indicação de Raphael Logam na categoria de Melhor Ator. Logam vive o papel de Evandro, um jovem da favela que tenta ganhar a vida honestamente.

‘Elis – Viver é Melhor Que Sonhar’ está entre as finalistas para Melhor Filme para TV ou Minissérie. FOTO: Divulgação/Globoplay

Mesmo cancelada por ter audiência não condizente com o custo de produção, e com uma única temporada, Ninguém tá Olhando (Netflix) se sobressaiu e concorre pelo prêmio de Melhor Comédia.

A série, que tem Kéfera como protagonista, tem oito episódios e foi elogiada por veículos especializados e tem uma grande base de fãs no Twitter.

Para encerrar as indicações, Refavela 40 (HBO), é o documentário que revisita um dos mais aclamados álbuns de Gilbert Gil, e que agora concorre ao prêmio de Programa de Arte. Ainda não assisti, mas só ouvi elogios. Afinal, é Gil, né?

Refavela 40 é o documentário que revisita um dos mais aclamados álbuns de Gilberto Gil. FOTO: Divulgação/HBO

CONECTE-SE

O caso Ângela Diniz

Você precisa separar um tempo para ouvir o podcast Praia Dos Ossos (produção da @radionovelo). O caprichado programa conta, nos mínimos detalhes, o assassinato da eterna Pantera de Minas, a socialite Ângela Diniz.

O podcast entrega uma narrativa excepcional do caso de feminicídio que chocou o Brasil às vésperas do réveillon de 1977 – e que se desenrolou na base do machismo mais escancarado que se pode imaginar. Novos episódios aos sábados: spoti.fi/3mSBBfC.

O podcast ‘Praia dos Ossos’ é impecável e imperdível. FOTO: Divulgação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: