“A abertura das olimpíadas no Brasil será um lixo”(e outras idéias “jecas”)

Estadão

30 de julho de 2012 | 10h33

Sexta-feira, enquanto a cerimônia de abertura dos jogos olímpicos era transmitida de Londres, uma boa parte do povo brasileiro, o próximo país a sediar os jogos (eba!) se unia em uníssono com uma certeza: “imagina a nossa cerimônia de abertura, que vergonha, vai ser horrível”.

Frases escutadas: Eles têm o David Bowie. Nós temos o Michel Teló. Eles têm a rainha. Nós temos a Ivete Sangalo. A música inglesa é maravilhosa, isso que é musica, imagina no Brasil. Nessa hora a gente senta na calçada e escolhe se ri ou chora. Será que é preciso fazer uma lista aqui de tudo que a gente tem? Chico Buarque, Caetano, Gal, João Gilberto, Olodum. Tá bom? Querem mais?

E a Rainha… bem, existe um deslumbramento brasileiro (mundial?) com a realeza britânica e muita menina de mais de 30 anos suspirou quando o príncipe Harry veio ao Brasil. Gente. Só lembrando: príncipe encantado não existe. E esses que existem por aí vivem com dinheiro de um país em crise. A monarquia é um sistema antigo e falido. Não, no Brasil não tem rainha.. mas isso é BOM!!!!

Quanto a musica brasileira… Bem, é preciso ser muito infeliz para ser brasileiro e achar que aqui não tem música. Conselho para quem pensa assim: mudar para a Inglaterra (onde sim,” existe uma cultura musical de verdade”) imediatamente. Pensamentos: por quanto tempo vamos nos olhar no espelho e nos achar um lixo? “Olimpíada é coisa de rico, quem somos nós para fazer uma boa?”. É muito ruim não gostar de si mesmo, não? Rir de si próprio é bem legal. Mas O TEMPO TODO?

Enquanto isso, os jogos continuam, e os comentários também. “Imagina se fosse no Brasil”. E podemos nos preparar para a mesma lenga-lenga no encerramento dos jogos. “No Brasil vai ser um vexame”. Então, não assista (inclusive nem está passando na Globo!, olha só “que vegonha”!) e vá para a fila da Sephora (a loja francesa de maquiagem que foi inaugurada em um shopping de luxo de São Paulo e tem provocado filas e histeria na cidade) e fique lá até as olimpíadas acabarem falando mal do Brasil, esse país “jeca”. Como se jeca não fosse ficar horas em fila de loja de maquiagem. Mas enfim…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.