Trama futurista com DiCaprio, ‘A Origem’ estreia hoje

Em 'A Origem', Leonardo DiCaprio é um invasor de sonhos, que entra na mente alheia em busca de segredos e mistérios. A trama mescla psicanálise, universo paralelo e excelentes efeitos especiais. Assista ao trailer do filme, que estreia hoje nos cinemas

Estadão

06 de agosto de 2010 | 00h23

Maiara Camargo

“O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”, escreveu Sigmund Freud (1856-1939), no livro ‘A Interpretação dos Sonhos’, considerado sua obra prima. Em ‘A Origem’, Christopher Nolan, diretor de ‘Batman – O Cavaleiro das Trevas’ e ‘Batman Begins’, faz da frase do pai da psicanálise a sua máxima. O filme, que tem sua estreia nacional hoje, está no topo das bilheterias americanas há três semanas, desde que entrou em cartaz por lá. Sua arrecadação já passa de US$ 193,4 milhões.

Nolan, que se inspirou no trabalho do escritor argentino Jorge Luis Borges e no conceito de realidades paralelas, conta que vem trabalhando no projeto há alguns anos. “O filme cria um mundo inteiro e pede que o público o siga através de um conjunto complexo de regras. Por isso, levei algum tempo para acertar o roteiro”, diz.

Com elenco de peso, o longa acompanha os feitos de Dom Cobb, papel de Leonardo DiCaprio. Como o próprio personagem avisa nas primeiras e misteriosas cenas da produção, seu trabalho consiste em entrar nos sonhos das pessoas e roubar seus pensamentos, segredos e informações pessoais. O serviço é normalmente contratado por homens de negócio em busca de dados sobre seus concorrentes. Para atingir o objetivo, Cobb utiliza uma técnica que lembra os fios e plugues da saga ‘Matrix’, mas nada nesse sentido é muito esclarecedor. Uma combinação de drogas, sons e métodos de despertar faz com que Cobb e sua equipe criem a estrutura do sonho, mas a responsabilidade de povoar o devaneio fica por conta do dono do inconsciente.

Assista ao trailer de ‘A Origem’:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: