O cinema autoral de John Cassavetes

Estadão

16 de maio de 2012 | 15h04

Por Felipe Branco Cruz

O cineasta americano John Cassavetes (1929-1989) será homenageado pela Cinemateca com uma mostra que tem início hoje e reúne seus cinco principais filmes lançados no Brasil. O diretor é conhecido como o pai do cinema independente americano, filmando com orçamentos reduzidos, e sempre com a mesma equipe de técnicos e atores. Pelo seu trabalho, Cassavetes, que também atuava, foi indicado ao Oscar de melhor roteiro original, em 1968, por Faces, e de melhor diretor e melhor ator coadjuvante, em 1974, por Uma Mulher Sob Influência.

A mostra será aberta hoje, às 18h30, com a exibição de Sombras. O longa voltará a ser exibido na quinta-feira, às 20h30, e no sábado, às 21h. Será seguido, hoje, às 20h30, por Faces, que terá reexibições na sexta-feira, às 18h, e no domingo, às 14h30. Amanhã, às 17h30, será a vez de Uma Mulher Sob Influência, com reapresentações na sexta-feira, às 20h30, e no domingo, às 17h. Já na quarta-feira, às 20h30, a programação traz o longa A Morte de um Bookmaker Chinês, que poderá ser (re)visto no domingo, à 0h. O último a ser projetado será Noite de Estreia, na quinta-feira, às 18h, com reexibição no sábado, também às 18h.

Um dos destaques do ciclo, Sombras (1959) foi o primeiro filme do diretor. Mostra a história de uma mulher negra que se apaixona por um homem branco e tem de enfrentar o preconceito nos EUA. A atriz Gena Rowlands, que foi casada com Cassavetes, está no elenco de Faces, Uma Mulher Sob Influência e Noite de Estreia. Os três títulos são considerados obras-primas do cinema. Ben Gazzara, que morreu no dia 3 de fevereiro deste ano, é a estrela de A Morte de um Bookmaker Chinês, sobre um homem viciado em jogo e com dívidas com a máfia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.